D. Rino Passigato exercia a missão de representante diplomático da Santa Sé no país desde 2008

Foto: EMGFA

Cidade do Vaticano, 04 jul 2019 (Ecclesia) – O Papa aceitou hoje a renúncia ao cargo do núncio apostólico (representante diplomático) da Santa Sé em Portugal, D. Rino Passigato, por ter atingido o limite de idade determinado pelo direito canónico, de 75 anos.

Num curto comunicado, na sala de imprensa da Santa Sé, refere-se que “o Papa aceitou a renúncia ao cargo do núncio apostólico em Portugal, apresentada por sua excelência o monsenhor D. Rino Passigato, arcebispo titular de Nova César”.

D. Rino Passigato, arcebispo natural de Bovolone, Itália, foi nomeado como representante diplomático do Papa em Portugal no dia 8 de novembro de 2008, em substituição do também italiano D. Alfio Rapisarda.

Ordenado padre em Verona, no dia 29 de Junho de 1968, foi nomeado arcebispo titular de Nova César em 1991 e pró-núncio apostólico no Burundi.

Antes de chegar a Portugal, passou pelas nunciaturas apostólicas da Bolívia (entre1996 e 1999) e do Peru (1999 – 2008).

Em junho, numa cerimónia em que foi condecorado pelo Chefe do Estado-Maior General das Forças Armadas, com a Cruz de São Jorge, D. Rino Passigato abordou com os jornalistas a sua passagem por Portugal.

O arcebispo italiano destacou a passagem pelo nosso país como a concretização de um desejo antigo e o culminar “de uma longa vida de serviço diplomático à Santa Sé, de 45 anos e meio”.

“Portugal foi para mim a realização de um sonho, de um desejo, e o coroar de uma vida dedicada a este serviço”, apontou D. Rino Passigato, que durante os últimos meses da sua missão em território português trabalhou na concretização de um relatório sobre o ponto da situação da Igreja Católica e do país.

Um relatório que será essencial na passagem de “instruções para um novo núncio apostólico”, realçou aquele responsável.

Até à nomeação de um novo núncio, a representação diplomática da Santa Sé em Portugal será liderada pelo monsenhor Amaury Medina Blanco, Encarregado de Negócios da Nunciatura Apostólica no país.

JCP

Partilhar:
Share