Marcelo Rebelo de Sousa participou na Missa da solenidade de São João Batista

Foto: Presidência da República

Braga, 25 jun 2019 (Ecclesia) – O presidente da República reuniu-se esta segunda-feira com responsáveis do jornal ‘Diário do Minho’, do Instituto Monsenhor Airosa e da Oficina de S. José da Arquidiocese de Braga, que partilharam “preocupações”, no Paço Episcopal, após a Eucaristia de São João.

Marcelo Rebelo de Sousa disse que o Instituto Monsenhor Airosa e a Oficina de S. José, duas Instituições Sociais de Solidariedade Social da Arquidiocese de Braga, partilharam “preocupações” relacionadas com “questões com a empregabilidade, com a relação entre Segurança Social e Educação”.

“Os problemas também colocados com a explicação ou pedagogia junto dos tribunais, junto do Ministério Público e dos tribunais para haver uma interligação boa entre essas instituições e as decisões que são tomadas pelos tribunais sobre o destino e o acolhimento desses jovens”, acrescentou na informação divulgada pelo sítio online da Presidência da República.

O chefe de Estado assinalou que as instituições de solidariedade social partilharam também “problemas até do ponto de vista financeiro”.

Os responsáveis do ‘Diário do Minho’, jornal centenário da arquidiocese minhota, também estiveram na reunião desta segunda-feira, no Paço Episcopal de Braga.

O presidente da República adiantou que “a crise da publicidade” e “a dificuldade” da Comunicação Social “em ter a expansão”, que “é muito importante em ter ligação com as comunidades migrantes”, foram alguns dos problemas partilhados.

“E a necessidade, de que já falei, toda a gente está de acordo, mas como é período pré-eleitoral e como tem que se esperar por ventura por futuro Governo para não se poder suscitar dúvidas de influência de controlo do poder político, que ninguém quer ou de censuras ocultas sobre a comunicação social. Espero que o futuro governo e o futuro parlamento olhe para esse problema com atenção acrescida”, assinalou.

Na sua edição de hoje, o jornal de inspiração cristã refere que as instituições para além das “preocupações mais prementes” também deram a conhecer “anseios e objetivos”.

A reunião entre o presidente da República e as três instituições centenárias da cidade da Igreja Católica – Instituto Monsenhor Airosa, Oficinas de S. José e o Diário do Minho – realizou-se depois de Marcelo Rebelo de Sousa ter participado na Missa da solenidade de São João, presidida pelo arcebispo de Braga.

Na Missa, D. Jorge Ortiga destacou São João Batista como exemplo para “inverter” o caminho da história, “uma das figuras mais determinantes na história do cristianismo” e destacou a sua influência a partir dos verbos: “Sair, discernir e intervir”.

“Homem que vai ao encontro das pessoas, que lê a realidade e que incide sobre a mesma”, disse na homilia, onde pediu aos presentes que se comprometam e deixem-se inspirar pelos principais traços da personalidade do precursor de Jesus, no Parque da Ponte, divulga o ‘Diário do Minho’.

Nesta segunda-feira realizou-se também a procissão de São João de Braga, que saiu da Sé, pelas ruas do centro da cidade para a “Aclamação das Flores”, os figurantes levaram mensagens de catequese e identificativas de cada um dos 10 andores – São João, Senhora da Torre, Senhora do Sameiro, São Geraldo, São Luís de Gonzaga, Sagrado Coração de Jesus, Santo António, São Pedro, São José e São Paio.

CB

Partilhar:
Share