Bispo diocesano recebeu Medalha de Ouro da cidade de Faro

Faro, 11 set 2019 (Ecclesia) – O presidente da Câmara de Faro afirmou que o bispo do Algarve é “um homem do norte que já tanto fez pelo Algarve” e suas comunidades, na cerimónia em que D. Manuel Quintas recebeu a Medalha de Ouro da cidade.

“Merece o respeito de todos independentemente da fé de cada um”, disse Rogério Bacalhau do bispo diocesano no Dia do Município de Faro, na sessão solene na Universidade do Algarve.

Na informação enviada à Agência ECCLESIA, o jornal diocesano ‘Folha do Domingo’ adianta que a distinção honorífica, a Medalha de Ouro da cidade, foi entregue ao bispo do Algarve pela vereadora Cristina Grilo.

Na abertura da sessão, o presidente da Assembleia Municipal realçou que “a cidade de Faro deve muito ao seu bispado” e destacou as “boas relações de comunhão” e “de interesses”.

“De Ossonoba aos dias de hoje, atravessámos o tempo da história sempre com o bispo do Algarve, a sua diocese e o seu bispado”, contextualizou Luís Graça.

Considerando que foi “uma justíssima homenagem”, o deputado algarvio Luís Graça salientou que D. Manuel Quintas “consagrou a sua vida aos outros”, no âmbito dos 50 anos de consagração religiosa que vai celebrar dia 29 deste mês.

Neste contexto, realçou a ação de D. Manuel Quintas na “procura de fazer o bem na vida do ser humano e de tocar o coração do outro”, ao nível espiritual, mas também do ponto de vista da solidariedade”.

“Acho que todos nós, em Faro, revemo-nos no seu exemplo”, disse Luís Graça.

A cerimónia no Dia do Município de Faro teve como objetivo distinguir personalidades individuais ou coletivas, nacionais ou estrangeiras, que “contribuam para o engrandecimento e dignificação do município e que se notabilizem pelo seu reconhecido mérito ou contributo para a comunidade ou que comportem notável destaque”.

Para além de D. Manuel Quintas, a Medalha de Ouro da cidade foi entregue ao poeta e ensaísta Gastão Cruz e à poetisa, dramaturga, investigadora literária e ensaísta Teresa Rita Lopes e na sessão solene realizada sábado, dia 7 de setembro, também foram agraciadas pessoas e organizações/instituições com medalhas de mérito municipal.

Antes realizou-se uma cerimónia junto ao quartel dos Bombeiros Sapadores com hastear das bandeiras e a aposição de insígnias aos bombeiros promovidos, informa o jornal ‘Folha do Domingo’.

No mesmo dia, a Câmara de Faro atribuiu o nome do falecido padre João Sustelo a uma praceta da cidade junto à igreja de São Luís, e o descerramento do topónimo contou com a presença e bênção do bispo do Algarve.

“Foi uma referência no seu tempo para a Igreja e para a diocese da altura, mas também a nível da sociedade do Algarve; certamente que tinha muito para dar ainda naquela idade e Faro e a Diocese do Algarve tinham muito para receber. Mas Deus tem os seus caminhos”, referiu D. Manuel Quintas que considerou a homenagem “mais do que merecida”, divulga o jornal diocesano.

CB

Partilhar:
Share