Está na Internet há mais de 20 anos e cedo percebeu que este era um caminho que a Igreja não deveria ter medo de percorrer. O padre Júlio Grangeia, pároco de Travessô, Espinhel e Ois da Ribeira, no arciprestado de Águeda, diocese de Aveiro, procura nas transmissões que faz, em diferentes plataformas virtuais, interagir com quem o acompanha, tantas vezes no Canadá, Brasil ou França. O sacerdote de 62 anos afirma que esta é a mais-valia da Internet e que isso, lamenta, não está a ser aproveitado neste momento.

Partilhar:
Share