Movimento ecuménico promove peregrinação a Fátima

Fátima, Santarém, 30 abr 2012 (Ecclesia) – O Santuário de Fátima acolhe até terça-feira a peregrinação ‘Fé e Luz, 40 anos’, iniciativa que assinala o aniversário do movimento ecuménico dedicado ao cuidado de pessoas com deficiência intelectual, numa ação que ultrapassa as palavras.

“Todos nós temos a mesma experiência de base, uma ligação com pessoas que estão muito para além das línguas”, testemunha Alice Cabral, coordenadora nacional do movimento, que fala ao programa ECLESIA de um “encontro de família”, com participantes de Portugal e outros países, como o Brasil e Itália.

A peregrinação tem como lema ‘Mensageiros da Alegria’ e para esta responsável, os sorrisos são a “marca” deste movimento.

Segundo a coordenadora, os encontros mensais em que se partilham “experiências fortes de vida” de familiares, amigos e pessoas com deficiência que conseguem exprimir-se levam à construção de “redes de amizade”.

“Quando temos experiência de comunhão funda, que não têm só a expressão verbal como apoio, isso cria laços de amizade grandes. Depois, fazemos os possíveis por estar atentos às necessidades das pessoas”, precisa.

Chislain du Chénée, coordenador internacional do Movimento Fé e Luz, fala da experiência que tem vivido neste cargo, desde 2008, com a possibilidade de testemunhar “a alegria que é sempre a mesma e se exprime segunda cada língua, cada cultura”.

Este responsável admite que acolher um filho com deficiência é “difícil, uma prova”, considerando que o movimento ecuménico tem uma “espécie de alquimia” que permite criar a alegria, “apesar de tudo”.

“Vivemos coisas difíceis, como família, e vivemos coisas alegres e é preciso que isso se saiba”, acrescenta.

Amélie Chénée, mulher do coordenador internacional, confessa que ser mãe de uma filha com deficiência “nem sempre é fácil” e que isso obrigou a família a “seguir um caminho diferente”, com o qual puderam receber outras coisas.

O movimento internacional Fé e Luz nasceu na Páscoa de 1971, após uma peregrinação a Lourdes (França), organizada por Jean Vanier e Marie Hélène Mathieu, em resposta ao apelo de um casal, pais de duas crianças com deficiência intelectual.

Além de Lisboa, Porto, Braga e Évora, onde se encontra radicado, o Fé e Luz pretende constituir comunidades em mais três dioceses portuguesas, nos próximos três anos.

PTE/OC

Partilhar:
Share