Ator fala de uma vida reconhecida pela Igreja Católica com o prémio «Árvore da Vida»

Lisboa, 01 jun 2018 (Ecclesia) – O ator Ruy de Carvalho diz que a família foi “fundamental” na construção da sua vida e da carreira, tendo recebido a bênção da Igreja para o seu casamento 15 anos depois da cerimónia civil.

“Durante 15 anos vivemos privados da bênção da Igreja porque casámos só pelo civil. Eu acho que o casamento pela Igreja é uma bênção e só se deve abençoar o que é bom. Abençoar uma coisa que falha no segundo ou no terceiro ano não vale a pena”, afirma numa entrevista à Agência ECCLESIA, em parceria com a Rádio Renascença e o Secretariado Nacional da Pastoral da Cultura.

Saber viver em conjunto exige “muito respeito e, sobretudo, muito amor” afirma o ator que partilhou com a sua mulher Rute um casamento com 53 anos “e mais nove de namoro”.

“As pessoas têm de saber amar e conseguir viver 15 anos amando-se, ou 20 ou 53 como eu vivi e transmitir isso aos que vão sendo produto do nosso amor”.

Aos 91 anos de vida afirma ser “um homem rico”, com dois filhos, netos e bisnetos, e feliz porque transmitiu às gerações mais novas a prática cristã.

“Todos eles praticam o cristianismo. São todos cristãos”.

O ator português reconhece na esposa, falecida em 2008, uma “fé sem limites”.

“Eu tive uma mulher extraordinária. Foi bailarina e licenciada em História e Filosofia, com uma cultura muito interessante. E artista. Com uma grande capacidade de compreensão. Eu é que era a sombra e ela a pessoa”.

Tendo abdicado de “ser professora para acompanhar os filhos”, coube a Ruy de Carvalho sustentar materialmente a família, o que fez “com algumas dificuldades”.

“Ela nunca sentiu os momentos maus da minha vida. Eu estava ativo. Às vezes a parte económica não estava bem mas eu arranjava maneira de no final do mês ela ter sempre o dinheirinho para a casa”, recorda, enfatizando a responsabilidade de “não a fazer sofrer”.

“As pessoas não têm que sofrer o que os outros sofrem, mas devemos aliviar a vida e fazê-los mais felizes. Embora a nossa felicidade não seja muito grande, a nossa responsabilidade é grande”.

A Igreja Católica decidiu atribuir a Ruy de Carvalho o prémio Árvore da Vida/Padre Manuel Antunes 2018, enaltecendo o seu percurso, a vida e obra.

“Se acharem que eu fui útil na minha passagem pela vida, é assim que eu gostava de ser recordado. Foi útil, serviu os seus semelhantes com amor”, disse o ator.

A entrevista a Ruy de Carvalho pode ser visionada no programa 70×7, emitido no próximo domingo às 07h30.

LS

Partilhar:
Share