Porto, 12 jun 2021 (Ecclesia) – A ‘Associação Casa Daniel’ promove hoje o colóquio ‘O Olhar das Artes sobre a poesia de Daniel Faria’, integrado nas comemorações do quinquagésimo aniversário do nascimento deste poeta, na igreja de Santa Maria, em Marco de Canaveses (Diocese do Porto).

Uma nota enviada à Agência ECCLESIA informa que nesta iniciativa, com transmissão online, conferencistas, leitores, músicos e atores vão procurar reinterpretar as palavras e poemas do poeta Daniel Faria.

Uma sequência de comunicações dos conferencistas, intercaladas por testemunhos e poemas do Daniel vão preencher o programa desta manhã e tarde, culminando numa “performance musical” de Eugénio Amorim e José Luís Carrapa.

Os conferencistas Luís Viegas, da Faculdade de Arquitetura da Universidade do Porto; Castro Guedes, encenador, ator e atual diretor artístico da Seiva Trupe; Henrique Pereira, professor na Escola de Artes da Universidade Católica, e o escultor e professor na Faculdade de Belas Artes do Porto, Samuel Silva, vão fazer leituras da obra de Daniel Faria a partir das várias artes.

A criação ‘Daniel, nome de poeta’, realizada pela companhia Seiva Trupe, com guião e direção de Castro Guedes, vai encerrar os trabalhos do colóquio, na noite deste dia 12 de junho.

Os interessados poderão também seguir o colóquio através da transmissão na página Facebook “Daniel, nome de poeta”.

O programa comemorativo sobre Daniel Faria (1971-1999), organizado pela ‘Associação Casa Daniel’ que vai decorrer até 2022, conta também com uma Residência Artística de Pintura «A Casa do Daniel», de 10 a 12 de setembro, na Casa Daniel (Granjinha – Tabuaço), sob orientação do atelier do pintor Alberto Péssimo.

A tertúlia ‘A poesia de Daniel Faria a partir da Estética’, no dia 4 de outubro, no Círculo de Bellas Artes (Madrid – Espanha) e a exposição resultante da Residência “A Casa do Daniel”, tal como a apresentação do livro de atas dos colóquios, a 1 de dezembro, na Casa da Cultura de Paredes) marcam também a homenagem a este poeta que o cardeal Tolentino Mendonça considera “um dos mais importantes poetas portugueses nascidos no século XX”, cabendo “ao século XXI a tarefa de descobri-lo”.

LFS

Partilhar:
Share