Assembleia Plenária, de 12 a 15 de abril, debate «alargamento» do processo a outros ministérios

Lisboa, 22 fev 2021 (Ecclesia) – A Conferência Episcopal Portuguesa (CEP) vai estudar, na sua próxima Assembleia Plenária, de 12 a 15 de abril, a implementação do documento do Papa que permite instituição de mulheres no ministério de acólito e leitor.

O porta-voz da CEP, padre Manuel Barbosa, disse hoje à Agência ECCLESIA que o tema vai estar na ordem dos trabalhos, “alargando esse processo” a outros ministérios, especificamente nas áreas da caridade e do acolhimento, “na comunidade e tantos espaços da vida e da Igreja e da sociedade”, visando a sua aprovação, segundo competências próprias do episcopado.

“A assembleia fará uma reflexão sobre isso”, num processo que “não vai ser concluído na próxima assembleia”, assinalou o secretário do episcopado, após a reunião mensal do Conselho Permanente da CEP, que decorreu online.

Em janeiro, o Papa Francisco estabeleceu que as mulheres tenham acesso aos ministérios de Leitor e Acólito com o motu proprio ‘Spiritus Domini’.

Segundo o Papa, a opção de conferir estes serviços também às mulheres, com “estabilidade, reconhecimento público e mandato do bispo, torna mais eficaz a participação de todos na obra de evangelização na Igreja”.

Após esta decisão, o presidente da Comissão Episcopal de Liturgia e Espiritualidade, D. José Cordeiro, explicou à Agência ECCLESIA que a mudança requer “algumas condições”, como o decreto da Conferência Episcopal de cada país e o estabelecimento de critérios em ordem ao discernimento e à formação dos leitores e das leitoras, dos acólitos e das acolitas.

As Conferências Episcopais podem solicitar a instituição de ministérios específicos, ligados, por exemplo, a obras de caridade ou funções de acolhimento e de catequese nas comunidades católicas.

A próxima reunião magna da CEP vai analisar um possível documento sobre os 25 anos da peregrinação nacional dos acólitos, um “evento importante” que habitualmente reúne milhares de pessoas em Fátima.

O Conselho Permanente anunciou hoje, em comunicado a nomeação do padre José Luís Gonçalves da Costa e do diácono José Farinha de Noronha e Andrade (Patriarcado de Lisboa), como coordenador e coordenador-adjunto da Pastoral Penitenciária.

O cónego José Manuel dos Santos Ferreira, pároco de Santa Maria de Belém (Patriarcado de Lisboa), foi designado assistente nacional da Legião de Maria; já o cónego Eduardo Jorge Gomes da Costa Duque (Arquidiocese de Braga), foi reconduzido como assistente nacional do Serviço Nacional da Pastoral do Ensino Superior.

PR/OC

Partilhar:
Share