Cardeal-patriarca de Lisboa fala em «belo exemplo de vida cristã e vida pastoral»

Foto: Jornal da Madeira

Lisboa, 19 mar 2019 (Ecclesia) – A Conferência Episcopal Portuguesa (CEP) manifestou hoje o seu pesar pelo falecimento de D. Maurílio de Gouveia, arcebispo emérito de Évora, “na mais profunda união orante”.

“Em comunhão agradecida, rezamos para que a sua intercessão junto de Deus nos anime a continuar a nossa peregrinação quaresmal sempre com horizonte pascal”, escreveu o secretário e porta-voz da CEP, padre Manuel Barbosa, num comunicado enviado à Agência ECCLESIA.

D. Maurílio de Gouveia, arcebispo emérito de Évora, faleceu esta tarde no Eremitério de Maria Serena, em Gaula (Concelho de Santa Cruz), na Diocese do Funchal, com 86 anos de idade.

A Conferência Episcopal Portuguesa exprime “comunhão fraterna” com os familiares de D. Maurílio de Gouveia, com a Arquidiocese de Évora, onde “dedicou a maior parte da vida” no serviço do seu ministério episcopal de 1981 a 2008, e com o Patriarcado de Lisboa, onde foi bispo auxiliar de 1973 a 1981.

O cardeal-patriarca de Lisboa, D. Manuel Clemente, publicou uma mensagem em que elogia o “belo exemplo de vida cristã e vida pastoral” do falecido arcebispo.

O presidente da Conferência Episcopal Portuguesa recorda uma “presença muito próxima e um grande colaborador”, no Patriarcado de Lisboa, na Arquidiocese de Évora e na CEP, “onde era uma presença sábia e serena, de muito bom conselho”.

D. Maurílio Jorge Quintal de Gouveia, filho de Aires Romão Freitas Gouveia e de Matilde Maria Quintal de Gouveia, nasceu a 5 de agosto de 1932 em Santa Luzia, no Funchal; cumpriu a sua etapa vocacional no Seminário Diocesano do Funchal e foi ordenado sacerdote a 4 de junho de 1955.

Aos 22 anos seguiu para Roma, para prosseguir os seus estudos, e formou-se em Teologia Dogmática na Pontifícia Universidade Gregoriana, tendo tirado também uma pós-graduação em Teologia Pastoral, na Pontifícia Universidade Lateranense.

A 26 de novembro de 1973, aos 41 anos, D. Maurílio de Gouveia recebeu a sua nomeação episcopal, como bispo titular de Sabiona e bispo auxiliar de Lisboa, através do Papa Paulo VI; Quatro anos mais tarde, a 21 de maio de 1978, foi nomeado arcebispo titular de Mitilene, e a 17 de outubro de 1981, aos 49 anos de idade, como arcebispo de Évora.

A tomada de posse como arcebispo de Évora aconteceria três meses mais tarde, a 8 de dezembro de 1981, no dia da festa da Imaculada Conceição da Virgem Santa Maria, padroeira principal de Portugal e da Arquidiocese de Évora.

Em 2007, por ter atingidos os 75 anos, idade limite para o desempenho da missão episcopal, segundo a lei canónica, D. Maurílio de Gouveia apresentou ao então Papa Bento XVI a sua resignação ao cargo de arcebispo de Évora, sendo sucedido por D. José Alves em 2008.

CB/OC

Igreja/Portugal: Faleceu D. Maurílio de Gouveia, arcebispo emérito de Évora

Partilhar:
Share