D. Manuel Linda presidiu hoje à ordenação episcopal de D. Vitorino Soares

Porto 29 set 2019 (ecclesia) – O bispo do Porto presidiu hoje à ordenação episcopal de D. Vitorino Soares, denunciou os muros dos países ricos, afirmou a urgência de pregar “a liberdade” e “a justiça” e pediu à diocese para falar “a uma só voz”.

“Falemos, mas falemos a uma só voz, a voz da diocese do Porto”, disse D. Manuel Linda, na homilia da missa que presidiu na catedral diocesana.

O bispo do Porto valorizou o trabalho dos sacerdotes, diáconos e leigos, pedindo um trabalho em sintonia e unidade.

“Sintonizemos na unidade, sintonizemos com o nosso clero e os nossos diáconos, quase sempre excelentes na dádiva de si o no zelo apostólico e sintonizemos com o laicado que também me impressiona com a dedicação, amor e dinamismo”, afirmou.

Dirigindo-se ao bispo que foi ordenado esta tarde, D. Manuel Linda disse que “só o anúncio da verdade do outro” faz crescer como pessoas, alertando para a importância da liberdade e da justiça

“Prega sempre a liberdade que nos vem da espiritualidade. Nunca te esqueças da justiça”, indicou ao novo bispo auxiliar do Porto.

Na celebração de ordenação episcopal. D. Manuel Linda alertou para o “mau uso da riqueza”, sobretudo quando gera insensibilidade nas pessoas e nos países diante da pobreza.

“É preciso denunciar o mau uso da riqueza” alertou o bispo do Porto, acrescentando que não é “por ser riqueza”, mas porque é “colocada ao serviço de extravagâncias e “na maior insensibilidade aos outros”, referiu.

D. Manuel Linda disse que a “insensibilidade das pessoas” leva à “insensibilidade de nações inteiras”, que “consideram inegociável o seu estilo de vida” e o “desperdício dos recursos naturais, muitas vezes furto da rapina e da exploração dos pobres”.

O bispo do Porto sublinhou que quando os pobres se “aproximam das migalhas”, os ricos “cercam-se muros”.

“Nos muros dos atuais ricos não há qualquer abertura, não há qualquer intercâmbio”, sublinhou.

D. Manuel Linda alertou para “um certo neocolonialismo” que as nações ricas podem gerar ao explorar os recursos naturais e as “nações mais pobres”.

O bispo do Porto pediu aos cristãos para ajudar todas as pessoas a caminhar no mundo não com “os olhos virados para o chão”, mas a “erguer as mãos para o alto”.

“A essência da liberdade está em submetermo-nos ao único Senhor, como fizeram D. António Barroso, D. António Ferreira Gomes, D. António Francisco e todos, e todos os demais bispos que nos antecederam na Sé do Porto”, lembrou D. Manuel Linda na homilia da missa de D. Vitorino Soares.

D. Vitorino Soares foi nomeadobispo auxiliar do Porto no dia 17 de julho pelo Papa Francisco; como sacerdote da diocese, Vitorino Soares trabalhou no Seminário do Bom Pastor, entre 1984 e 1987, e no Seminário Maior, entre 1989 e 1994.

Capelão militar de 1987 a 1989, o padre Vitorino dedicou 10 anos do seu trabalho pastoral aos jovens, sendo diretor do Secretariado Diocesano da Juventude entre 1989 1999.

Em 1994 assumiu a paróquia de Castelões de Cepeda, em Paredes, e em 1999 a de Madalena, na mesma vigararia.

PR

Partilhar:
Share