Francisco pede uma cooperação renovada a nível internacional a favor dos povos mais carenciados do continente

Cidade do Vaticano, 29 jan 2018 (Ecclesia) – O Papa diz que a erradicação da pobreza e da fome em África depende de uma “cooperação renovada” entre toda a comunidade internacional, na busca de soluções para os povos mais carenciados daquele continente.

“A dignidade de cada pessoa humana exige que sejam ultrapassadas com determinação todas as barreiras que impedem cuidar dessas necessidades, no respeito pelo princípio da justiça distributiva, e na atribuição de recursos através dos mais adequados projetos e estratégias”, salienta Francisco.

Numa mensagem divulgada hoje pela sala de imprensa da Santa Sé, endereçada à 30.ª cimeira da União Africana, que está a decorrer em Adis Abeba, na Etiópia, o Papa argentino salienta que “as vítimas da fome não podem esperar mais, nem é tempo de ficar apenas por meias ações”, quando “em causa está a vida de milhões de pessoas”.

Para a Igreja Católica, o caminho para a “libertação dos povos africanos da ameaça da fome” está na promoção de uma nova cultura em termos da “atividade agrícola” e da “produção de alimentos em cada país”.

E de “uma cooperação mais eficiente entre os governos africanos e as organizações intergovernamentais”, que “garanta uma responsabilidade e solidariedade global”.

A 30.ª cimeira da União Africana, que termina esta segunda-feira na capital da Etiópia, conta com a parceria da Organização das Nações Unidas para a Agricultura e Alimentação (FAO).

Um dos objetivos em cima da mesa é a implementação da Declaração de Malabo relacionada com a potenciação do setor agrícola ao serviço do desenvolvimento e sustentabilidade dos povos.

JCP

Partilhar:
Share