O padre Henri de Lubac (1896-1991) foi um dos mais destacados teólogos do século XX e incorporou a chamada ‘Nova Teologia’. Criou, em 1940, com o padre Daniélou, a coleção ‘Sources Chrétiennes’ (fontes cristãs), para a divulgação dos Padres da Igreja e, em geral, dos autores cristãos.

Depois de ter visto a sua ortodoxia ser posta em causa, o jesuíta foi chamado pelo Papa

João XXII a participar no Concílio, primeiro na preparação e depois como perito, dando

o seu contributo para as constituições sobre a revelação divina (‘Dei Verbum’) e sobre a

Igreja no mundo atual (‘Guadium et Spes’).

Ficariam para a história do Vaticano II as suas reflexões pessoais, que anotava num caderno, que viriam mais tarde a ser publicadas nos ‘Carnets du Concile’. Regidias diariamente, de 1960 a 1965, os apontamentos editados a título póstumo retratam a preparação e as sessões do Concílio, em dois volumes.

Em 1972 funda com Urs von Balthasar e Joseph Ratzinger a revista ‘Communio’; em 1983 o Papa João Paulo II criou-o cardeal. 

Partilhar:
Share