País lusófono chamado às urnas para escolher novo presidente dia 24 de novembro

Foto AFP

Bissau, Guiné-Bissau, 04 nov 2019 (Ecclesia) – Os líderes religiosos da Guiné-Bissau publicaram uma mensagem de “paz, reconciliação e harmonia” no contexto das eleições presidenciais de 24 de novembro porque estão “aparecer sinais e factos preocupantes.”

“Tendências vincadas de instrumentalização religiosa e étnica; uso frequente de linguagem violenta, desrespeito dos princípios democráticos, recurso à difamação e desinformação, vontade deliberada de dividir para reinar”, alertam na mensagem assinada pelos bispos católicos de Bissau e Bafatá, pelo Conselho das Igrejas Evangélicas, o Conselho Nacional Islâmico, o Conselho Superior Islâmico e a Associação de Imames da Guiné-Bissau.

No documento enviado à Agência ECCLESIA, os líderes religiosos realçam que “tudo contraria” a “grande aspiração” do povo ter uma “classe política que esteja ao seu serviço e preocupada unicamente com o bem comum”.

São feitos diversos apelos aos candidatos para que “saibam encarnar os nobres ideias da política”, traduzi-los em projetos “concretos e de desenvolvimento sustentável” e aceitem os resultados com “fair play democrático”.

Os líderes religiosos pedem que os Órgãos de Soberania se “pautem pelo estrito cumprimento das leis”, que a Comunicação Social respeite a “sua deontologia” com uma informação que “promova a verdade, estimule a disciplina, a ordem, o respeito” e favoreça um clima de justiça e paz social.

Os responsáveis religiosos incentivam também ao voto, que “pode provocar mudanças positivas” ao “reforçar” a cultura democrática, a cidadania responsável e a “unidade nacional”, nas eleições presidenciais de 24 de novembro.

No documento observam também que as eleições não são a “única solução” dos problemas da Guiné-Bissau, mas são “incontornáveis” no processo democrático.

“É o momento em que o povo manifesta o seu desejo de colocar na direção do país líderes carismáticos, coerentes e prudentes que fundamentam as suas ações nos princípios morais e aplicam-nos”, desenvolvem sobre esse momento “privilegiado” para a manifestação pública da cidadania.

Para além da mensagem, os líderes religiosos da Guiné-Bissau divulgaram também uma oração inter-religiosa pela paz no contexto das eleições.

CB

Oração dos lideres religiosos da Guiné-bissau

Partilhar:
Share