D. Manuel Felício incentivou à «proximidade, compaixão» e ternura, alertando também para vários «sentidos proibidos»

Guarda, 04 jul 2022 (Ecclesia) – O bispo da Guarda disse aos dois novos padres diocesanos, ordenados este domingo, que contam com eles para “abrir os caminhos certos e os mais ajustados” à vida dos fiéis e das comunidades, na homilia da celebração.

“Contamos convosco para juntos podermos abrir os caminhos certos e os mais ajustados à vida dos nossos fiéis e das nossas comunidades e para, ao mesmo tempo, conjuntamente podermos dar a devida resposta às grandes interpelações que o mundo de hoje nos faz”, explicou D. Manuel Felício, este domingo, na Sé da Guarda.

Na homilia, enviada hoje à Agência ECCLESIA, o bispo diocesano disse a Tiago David Pereira e ao Fábio Pontífice que se impõe que cuidem “sempre e bem a formação”, a pessoal e da vida em presbitério, com os outros sacerdotes, para que “a missão seja devidamente cumprida”.

“O tempo que dedicarmos à formação, a começar pela formação espiritual, mas também doutrinal e pastoral, será sempre uma mais-valia para nós e igualmente para as comunidades que temos de servir”, lembrou.

O bispo da Guarda afirmou que o serviço que é pedido aos sacerdotes, “nas circunstâncias atuais da Igreja e do mundo”, é “especialmente exigente”, e para o exercerem convenientemente, têm que saber “superar os muitos obstáculos”.

“O serviço de Deus ao seu Povo tem traços bem definidos que também vós sois chamados a seguir, a partir de hoje”, assinalou, explicando que são a proximidade – “a Deus, ao bispo, a todos os sacerdotes e a todo o Povo Santo de Deus” – a compaixão e a ternura.

D. Manuel Felício alertou também para os “sentidos proibidos”, como a vaidade, o orgulho, a maledicência, “ou mesmo da absolutização do dinheiro”, e explicou aos futuros padres o “essencial dos compromissos sacerdotais”, que iam assumir diante do bispo, do presbitério e de “todo o Povo de Deus”, representado na “bela assembleia celebrante” presente na Sé.

“A vossa alegria há de ser sempre a alegria do Evangelho, da qual somos arautos por mandato do próprio Cristo. O mesmo mandato recebem os 72 discípulos, enviados em missão, dois a dois”, realçou, em ligação com a liturgia deste domingo.

Na nota enviada à Agência ECCLESIA, a Diocese da Guarda informa que Tiago David Pereira, natural do Fundão, e Fábio Pontífice, que nasceu a 5 de novembro de 1995, na freguesia de Santa Maria da Covilhã, estão a trabalhar nos arciprestados do Fundão-Penamacor e no de Trancoso-Celorico da Beira, respetivamente.

CB/PR

 

Partilhar:
Share