Renúncia das comunidades católicas destina-se às obras no chamado «Terreiro da Luta»

Funchal, Madeira, 29 nov 2021 (Ecclesia) – O bispo do Funchal convida os cristãos à esperança, na sua mensagem para o Advento de 2021, apesar da pandemia privar as pessoas de fazerem festa.

D. Nuno Brás refere que os cristãos são “convidados à esperança, mas parece contraditório ser convidado à esperança no meio desta pandemia que persiste em estar connosco, em ceifar vidas, em encher hospitais, em confinar-nos, em privar-nos de fazer festa”.

“Deus que quer vir até ao nosso mundo, à nossa vida concreta e real, para a iluminar”, assinala a mensagem, enviada à Agência ECCLESIA.

Segundo o responsável católico, para a sociedade “habituada ao bem-estar” é complicado viver com as limitações impostas pela covid-19.

“É difícil fazer as compras de Natal com a máscara na cara; pensar que ainda não teremos as Missas do Parto como estamos habituados; que ainda não poderemos celebrar o Natal à vontade, com as nossas famílias e as nossas comunidades”, pode ler-se.

“A esperança a que somos chamados não é o fruto das nossas capacidades e qualidades”, acrescenta D. Nuno Brás.

A tradicional renúncia do Advento, na Diocese do Funchal,  reverte este ano para as obras que se vão realizar no chamado ‘Terreiro da Luta’.

“É um lugar dedicado à paz, que convida à oração pela paz, e que está a necessitar de obras urgentes, como é do conhecimento público”, indica o bispo diocesano.

LFS

Covid-19: Diocese do Funchal anuncia Missas do Parto sem convívios no exterior e recomenda vacinação

 

Partilhar:
Share