Funchal, 03 jul 2021 (Ecclesia) – O cónego Damasceno, de 99 anos, faleceu este sábado, 03 de julho, “na sua casa”, como informou a diocese do Funchal. 

A diocese informa que o cónego faleceu em “sua casa como era da sua vontade”.

O cónego Damasceno estudou no Lisbonense e viveu na freguesia de São Pedro, para onde os pais vieram viver no dia em que se casaram; nasceu a 27 de março de 1922 e teve cinco irmãos.

Quando terminou a quarta classe, em 1933, decidiu entrar para o Seminário Menor e foi ordenado sacerdote em 1945. Celebrou Missa Nova em São Pedro.

“Foi padre no Jardim do Mar, embora inicialmente tenha sido nomeado para o Caniçal, onde não chegou a exercer. Em 1958, D. Teodósio chama-o para Lourenço Marques, em Moçambique, onde foi Reitor do Seminário S. Pio X. Em 1963 foi nomeado cónego de Lourenço Marques. Nomeado Vigário Episcopal para o Clero por D. Teodoro de Faria”, informa a diocese.

Em 1967 regressa à ilha e é nomeado cónego da Sé acumulando a função com a de Pároco. 

O jubilado cónego, que esteve três décadas à frente da Sé, viveu um dos momentos históricos da Igreja madeirense: a visita do Papa João Paulo II a 12 de Maio de 1991. (in entrevista no Jornal da Madeira).

“O cónego estará em câmara ardente na Catedral a partir do meio dia na próxima segunda-feira, dia 05 de julho, sendo a missa do funeral às 13h, presidida pelo Bispo do Funchal, e será sepultado em jazigo próprio no cemitério de São Martinho”, informa o sítio online.

SN

Partilhar:
Share