Bispo destacou simbolismo do tradicional gesto do lava-pés, na Missa que evoca a Última Ceia

Foto: Jornal da Madeira/Duarte Gomes

Funchal, Madeira, 01 abr 2021 (Ecclesia) – O bispo do Funchal presidiu hoje na Catedral madeirense à Missa da Ceia do Senhor, apelando a uma atitude de serviço, por parte dos cristãos.

“Cada um de nós que aqui se encontra, e toda a nossa diocese, não pode deixar de continuar a interrogar-se: de que modo concreto podemos (devemos) lavar os pés uns aos outros?”, referiu D. Nuno Brás.

O responsável falava do tradicional gesto do lava-pés, na Missa que evoca a Última Ceia, simbolizando o amor ao próximo, à imagem do que fez o próprio Jesus, segundo o relato dos Evangelhos.

Em 2021, devido à pandemia, este gesto não se realizou durante a Eucaristia que inaugura o Tríduo Pascal, mas o bispo de Funchal quis recordá-lo na sua homilia, falando num “verdadeiro ensinamento de Jesus, feito sem palavras”.

Segundo D. Nuno Brás, esta foi uma atitude que “permaneceu gravada na memória e no coração da Igreja”.

O responsável católico sublinhou que a Páscoa se estende até aos dias de hoje e afirmou que estes “só serão de verdadeira libertação, de verdadeira salvação, se forem vividos na Páscoa de Jesus”.

LFS

Posted by Sé do Funchal on Thursday, April 1, 2021

 

Partilhar:
Share