«Uma Igreja sinodal: comunhão, participação e missão» convida à criação de uma comissão que acompanhe as propostas do Sínodo e incentiva a trabalhos conjuntos

Foto: Diocese do Funchal

Funchal, 25 set 2021 (Ecclesia) – O bispo do Funchal, D. Nuno Brás, apresentou hoje o programa pastoral para a diocese, apostado em “fomentar as estruturas de participação laical na vida as comunidades cristãs e reanimar a participação dos leigos nos diversos serviços paroquiais”.

“O programa pastoral da Diocese do Funchal tem o objetivo de organizar uma jornada de formação para os Leigos e incentivar o trabalho pastoral em conjuntos entre as diversas paróquias e entre os sacerdotes”, destaca um comunicado enviado à Agência ECCLESIA sobre a apresentação do documento «Uma Igreja sinodal: comunhão, participação e missão».

D. Nuno Brás afirmou que a partir do dia 17 de outubro, sem esquecer o caminho que a diocese estava a fazer de aprofundamento das “realidades centrais da vida de fé, a partir dos três sacramentos da iniciação cristã (batismo, eucaristia e crisma)”, o programa da diocese “incorporará” os desafios de sinodalidade do Papa Francisco.

“A sinodalidade a que o Papa Francisco nos chama, expressão do «caminho comum» que percorremos, realiza-se na escuta da Palavra, na celebração da Eucaristia, na fraternidade da comunhão, na co-responsabilidade e participação de todos na vida e missão da Igreja”, sublinha.

O responsável destacou que a nível paroquial, deverão ser criadas e estimuladas “estruturas de participação laical na vida das comunidades cristãs, em particular os Conselhos Económicos e os Conselhos Pastorais paroquiais”, procurando “reanimar a participação dos leigos nos diversos serviços paroquiais”.

Foto: Diocese do Funchal

A nível dos arciprestados, pede D. Nuno Brás, que o trabalho pastoral em conjunto, “entre as várias paróquias e entre os sacerdotes” seja estimulado e propõe a organização de uma Jornada de Formação Laical.

Para a diocese, o bispo apostar na divulgação do beato Carlos de Áustria, “enquanto exemplo de leigo que viveu em família a vocação à santidade”.

D. Nuno Brás determinou ainda criação de uma comissão diocesana de acompanhamento dos trabalhos do Sínodo dos Bispos de 2023, para “coordenar, promover e incentivar as diferentes iniciativas pastorais” e concretizar as iniciativas decorrentes do programa elaborado para o presente ano pastoral.

O responsável pela Diocese do Funchal considera necessário “favorecer a ação e divulgação dos diferentes movimentos laicais de espiritualidade cristã”.

“Com a urgência do amor, os cristãos da diocese do Funchal são chamados a deitar pés ao caminho e a partilhar com a humanidade a Boa Notícia de que são portadores, ao mesmo tempo que oferecem um novo horizonte à vida humana, procurando tornar presente na história o Céu que é Cristo, e no qual os santos gozam da contemplação do rosto do Pai”, finalizou.

LS

Comissão para acompanhamento dos trabalhos do Sínodo dos Bispos e do Programa Pastoral Diocesano

Cónego Manuel Gonçalves dos Ramos (coordenador)

Cónego Vítor dos Reis Franco Gomes

Irmã Daniela de Sousa da Encarnação, FNSV

José Manuel Nóbrega Ferreira Freitas

Fátima Maria Mendes Freitas

Gerardo Patrício Teixeira Freitas

Sílvia Cristina Castro Fernandes de Abreu

Partilhar:
Share