Pandemia de Covid-19 obriga a novos adiamentos nas atividades pastorais da diocese

Funchal, Madeira, 01 abr 2020 (Ecclesia) – O bispo do Funchal divulgou hoje uma nota sobre as celebrações da Semana Santa e Páscoa, em contexto de isolamento social por causa da pandemia de Covid-19, convidando os católicos a gestos simbólicos que manifestem a sua fé.

“A partir de Domingo de Ramos, sugiro que à porta de cada casa esteja uma cruz (construída com madeira, com ramos de árvores ou com outro material), e que, no Domingo de Páscoa, a ornamentem com flores (se não for possível de outro modo, com flores de papel feitas pelas crianças)”, escreve D. Nuno Brás, no texto enviado hoje à Agência ECCLESIA.

O responsável católico convida as pessoas a partilhar fotos da iniciativa, através da rede social Facebook.

Outra proposta é que na noite da vigília pascal, 11 de abril, pelas 22h00, se coloque “numa janela de casa uma vela ou acendam as luzes da habitação”, como forma de assinalar a celebração da ressurreição de Jesus.

“Cada família, cada lar, não deixará certamente de procurar viver e celebrar a Páscoa como Igreja Doméstica” indica D. Nuno Brás, destacando as propostas divulgadas através do site diocesano (www.diocesedofunchal.com).

Nos tempos em que vivemos, somos chamados a ser Igreja, mesmo e sobretudo em nossas casas, fazendo o bem, sendo responsáveis por todos, escutando a Palavra de Deus, assistindo às celebrações através dos Meios de Comunicação e comungando espiritualmente”.

O bispo do Funchal admite que este ano vai ficar “na história e na memória”, por causa das limitações impostas pelo novo coronavírus, que impedem a celebração da Páscoa na sua forma habitual.

As limitações às atividades pastorais, na Madeira e Porto Santo, vão continuar nos próximos meses: as visitas do Espírito Santo terão de ser “reagendadas, substituídas por outro qualquer gesto, ou mesmo canceladas”, consoante as diversas paróquias.

“Peço a compreensão de todos para esta medida”, escreve D. Nuno Brás.

Também as celebrações do sacramento do Crisma que estavam previstas até finais do mês de julho serão adiadas

“Como quer que seja, vivamos a Páscoa do Senhor, a Sua morte e ressurreição. Sejamos um testemunho credível de Jesus e ajudemo-nos todos uns aos outros a passar este momento difícil da nossa vida. Não nos afastemos de Deus. Não passemos estes dias sem celebrar a Ressurreição, a Sua e nossa vitória sobre a morte”, conclui o bispo do Funchal.

A Diocese divulgou, através da sua página na rede social Facebook, um vídeo com mensagens de vários sacerdotes do arquipélago.

OC

VideoMensagem do Bispo do Funchal e de um grupo de padres da Diocese do Funchal – Vai tudo correr bem

Vídeomensagem do Bispo do Funchal e de um grupo de padres da Diocese do Funchal

Publicado por Diocese do Funchal em Quarta-feira, 1 de abril de 2020

Para que todos se possam unir e celebrar a Páscoa nestes condicionalismos, a RTP Madeira fará em direto a transmissão das celebrações a que vou presidir. Serão as seguintes: no Domingo de Ramos, às 12h00 (transmitida da Igreja da Boa Nova); na Quinta-feira Santa e na Sexta-feira Santa às 16h30, e no Domingo de Páscoa às 12h00 (transmitidas da Sé).

D. Nuno Brás

Partilhar:
Share