Organismo inclui advogada e psicóloga

Funchal, Madeira, 20 set 2019 (Ecclesia) – O bispo do Funchal determinou a criação de uma comissão diocesana de “acompanhamento de crianças, jovens e pessoas vulneráveis”, composta por uma advogada, um sacerdote e uma psicóloga.

“Esta Comissão encontrar-se-á disponível para acolher todas as assinalações nesta matéria, dando seguimento ao processo indicado no referido documento pontifício, de acordo com a legislação civil e canónica, bem como com as orientações da Santa Sé e da Conferência Episcopal Portuguesa”, escreve D. Nuno Brás, num decreto enviado à Agência ECCLESIA.

A comissão tem a coordenação da advogada Paula Margarido, integrando o padre Toni Vítor de Sousa, membro do Conselho Presbiteral da diocese, e a psicóloga Diva Fernandes.

A criação destes organismos foi determinada pelo Papa, com a carta apostólica ‘Vos estis lux mundi’, de 9 de maio de 2019, com o objetivo de combater os crimes de abuso sexual de menores praticados por membros do clero, dos Institutos de Vida Consagrada ou de Sociedades de Vida Apostólica.

Francisco pede a todas as dioceses católicas que implementem “um ou mais sistemas estáveis e facilmente acessíveis ao público para apresentar as assinalações, inclusive através da instituição duma peculiar repartição eclesiástica”.

No Funchal, a Comissão pode ser contatada pelo seguinte endereço: cacjpv.diocesefx@sapo.pt.

OC

Partilhar:
Share