Bispos admitem necessidade de intervenção do Papa para validar caminho de «purificação e reparação»

Lourdes, 09 nov 2021 (Ecclesia) – A Conferência Episcopal Francesa (CEF) decidiu avançar com indemnizações às vítimas de abusos sexuais cometidos por membros do clero, institutos religiosos ou em instituições eclesiais.

O anúncio foi feito pelos bispos católicos após a Assembleia Plenária de outono da CEF, que se encerrou este sábado, no Santuário de Lourdes, cerca de um mês depois da divulgação de um relatório da comissão independente sobre os abusos sexuais na Igreja, que estimou a existência de mais de 330 mil casos, desde 1950 até hoje.

“Reconhecemos a nossa responsabilidade institucional e decidimos empreender um caminho de reparação, abrindo a possibilidade de mediação e indemnização para as vítimas”, disse o presidente da CEF, D. Éric de Moulins-Beaufort, arcebispo de Reims.

Os bispos franceses assumem que este caminho de “purificação e reparação” exige uma intervenção do Papa, solicitando-lhe que envie “alguém da sua confiança” para examinar a forma como a Igreja Católica na França está a tratar as vítimas e os seus agressores.

A CEF aponta também a uma colaboração mais estreita com as autoridades judiciais da França, acompanhada por um trabalho interno de “reforma profunda”.

D. Olivier Leborgne, vice-presidente da CEF, disse ao portal de notícias do Vaticano que os responsáveis católicos estão “à disposição do Papa” para as decisões que Francisco entender tomar.

O bispo de Arras fala no “desejo de verdadeira justiça e verdadeira mediação”, com a criação de um organismo nacional independente para ressarcir as vítimas.

“O caso não pode ser administrado por alguém que está envolvido. Portanto, pedimos à senhora Marie Derain de Vaucresson, funcionária do Ministério da Justiça e defensora dos direitos dos menores, que assumisse a gestão deste órgão”, precisa.

OC

França: Conferência Episcopal promoveu momento de penitência pelas vítimas de abusos sexuais

Partilhar:
Share