Projeto feminino internacional trouxe ao nosso país o concerto «From the Inside Outside» que engloba temáticas como a paz, o meio ambiente e as migrações

Lisboa,18 jun 2019 (Ecclesia) – A digressão em Portugal do grupo internacional feminino ‘Gen Verde – International Performing Arts Group’, ligado ao Movimento dos Focolares, foi destaque na edição deste domingo do Programa 70×7, na RTP2.

O grupo, que esteve no nosso país pela primeira vez, veio apresentar o concerto ‘From the Inside Outside’, centrado em temas atuais como a paz, a proteção do meio-ambiente e as migrações, e dinamizar workshops com alunos de escolas, em diversas cidades portuguesas.

De acordo com Sílvia Reis, portuguesa que integra o grupo ‘Gen Verde’, este projeto do Movimento dos Focolares “procura através da linguagem atual, por exemplo da música, da arte, ir ao encontro das pessoas, dos jovens sobretudo”.

“O Evangelho é sempre atual mas precisa-se também de atualizar no tempo, e penso que o Movimento procura também encontrar novas linguagens, maneiras de se pôr no mundo para lançar pontes com pessoas, com culturas, com crentes ou não crentes”, salientou.

Criado em 1966, no centro internacional dos Focolares, em Loppiano (Florença-Itália), o grupo ‘Gen Verde’ tem como uma das caraterísticas principais a multiculturalidade, integrando 20 artistas de 15 países: Argentina, Brasil, Canadá, Coreia do Sul, El Salvador, Equador, Irlanda do Norte, Itália, Malásia, México, Panamá, Portugal, Espanha, Estados Unidos da América e Venezuela.

No total, o projeto ligado ao Movimento dos Focolares já protagonizou mais de 1500 espetáculos e editou 69 discos em nove línguas diferentes.

Foto Agência ECCLESIA / PR

 

Entre as temáticas escolhidas para o concerto ‘From the Inside Outside’ está por exemplo a questão do muro transfronteiriço entre o México e os EUA.

“É uma das nossas canções, com a Adriana que vem do México, é a nossa baixista, e quisemos escrever uma canção sobre este tema que está a despertas muita atenção em todo o mundo, sobre as fronteiras entre os nossos países”, aponta a norte-americana Nancy Uelmen.

“O que quisemos fazer não era tanto a negatividade ou a polémica, ou algo político, mas fazer perceber que se nós nos entendermos e compreendermos a dor de ambas as partes, como diz o Papa, este dom das lágrimas, este sabermo-nos entender, então as coisas podem ser diferentes”, acrescentou.

Outra temática presente é o conflito na Península Coreana, entre as congéneres do Sul e do Norte, que é vivida muito de perto por Colomba Bai, uma das artistas do ‘Gen Verde’

“É verdade q ue venho de uma nação dividida e isto criou em mim sempre um sentimento de dor. Sempre existiu esta divisão mas ela tornou-se mais forte para mim, tal como este desejo de unidade, que ainda não aconteceu”, salienta esta sul-coreana.

Durante a sua presença em Portugal, o ‘Gen Verde’ promoveu concertos e workshops nas cidades de Braga, Santa Maria da Feira, Fátima, Cascais, Évora e Faro.

HM/JCP

Gen Verde» em Portugal

Partilhar:
Share