Padre Carlos Cabecinhas sublinha intenção de ouvir e ajudar «quem sente a necessidade de contar a história da sua fragilidade pessoal»

Fátima, 11 nov 2021 (Ecclesia) – O Santuário de Fátima está a preparar um ‘Centro de Escuta’, que vai acolher todas as pessoas, “sem qualquer tipo de discriminação ou exclusão, preconceito ou juízo prévio”.

“Um lugar para o acolhimento incondicional de quem sente a necessidade de contar a história da sua fragilidade pessoal e ser ouvido e ajudado com compaixão por pessoas competentes na arte de escutar e cuidar espiritualmente”, disse o padre Carlos Cabecinhas, citado pelo jornal ‘Voz da Fátima’.

O reitor do Santuário de Fátima explica que a finalidade do Centro de Escuta, a funcionar no piso inferior da Basílica da Santíssima Trindade, é “acolher empaticamente a todos”, “sem qualquer tipo de discriminação ou exclusão, preconceito ou juízo prévio”.

A ideia do Centro de Escuta no santuário mariano surgiu da perceção de que existe um elevado número de peregrinos em situação de fragilidade, que “sentem necessidade de alguém que os acolha, escute e ajude”; Uma situação que se agravou com a pandemia de Covid-19.

O espaço destina-se a todas as pessoas que estejam a atravessar um momento mais difícil, causado pela doença, solidão, medo, luto, angústia, ressentimento, dificuldades de aceitação pessoal, ou outras feridas e mágoas interiores, impossibilidade de perdoar a outros ou a si mesmo, conflitos ou roturas familiares, relações problemáticas com os outros, problemas laborais, crises de fé ou de inclusão eclesial, interrogações religiosas, ausência de sentido para a vida.

O Santuário de Fátima informa que vão estar ao serviço do Centro de Escuta capelães, alguns colaboradores profissionais e voluntários.

O novo projeto vai funcionar num espaço que está a ser especificamente preparado para proporcionar acolhimento e privacidade, e que vai estar identificado quando entrar em funcionamento, “o que se prevê no próximo ano”.

 CB

 

Partilhar:
Share