Foto: Santuário de Fátima

Fátima, 01 abr 2020 (Ecclesia) – O Santuário de Fátima informou hoje que vai viver a Semana Santa e, em particular o Tríduo Pascal, “sem peregrinos” e “à porta fechada”, com as celebrações a serem “transmitidas pelos meios de comunicação social e meios digitais”.

“O Santuário de Fátima vai viver estes dias num clima de recolhimento, sem a presença de muitos dos grupos que habitualmente peregrinam à Cova da Iria neste tempo de Quaresma e Páscoa; Mesmo sem assembleia, manter-se-á praticamente todo o programa da Semana Santa e do Tríduo Pascal adaptando-o às circunstâncias do momento”, refere uma nota enviada hoje à Agência ECCLESIA.

O cardeal D. António Marto, bispo da Diocese de Leiria-Fátima, vai presidir à Missa do Domingos de Ramos, a 5 de abril, pelas 11h00, na Basílica de Nossa Senhora do Rosário.

O santuário mariano informa que a celebração com interpretação em Língua Gestual Portuguesa vai ser transmitida no seu sítio online, em www.fatima.pt, na sua página na rede social Facebook, no Meo Kanal 707070 e pela TV Canção Nova.

As celebrações do Tríduo Pascal vão ser presididas pelo reitor do Santuário de Fátima, o padre Carlos Cabecinhas: a missa Vespertina da Ceia do Senhor, na Quinta-feira Santa (18h00); no dia seguinte, as Laudes e a celebração da Paixão (15h00), com “uma intenção especial de oração pelos doentes, pelas vítimas diretas e indiretas desta pandemia provocada pelo Covid-19 e por todos os que trabalham para que a vida não pare”, podem ser acompanhadas no canal do santuário no Youtube e na página oficial no Facebook,

Ainda na Sexta-feira Santa, segundo o programa, vai ser transmitida a Via-Sacra, previamente gravada, a partir do Itinerário do Peregrino (18h30).

No sábado são transmitidas a oração de Laudes às 09h30; o Terço às 12h00; a Via-Matris, Oração a Nossa Senhora da Soledade, a partir das 15h00, as vésperas e a Vigília Pascal, “a celebração mais importante deste ciclo litúrgico”, às 21h30.

No Domingo de Páscoa, a Eucaristia começa às 11h00.

O Santuário de Fátima explica que o calendário e a forma como vão decorrer as celebrações foram “decididos em função das disposições” da Congregação para o Culto Divino e a Disciplina dos Sacramentos da Santa Sé, as orientações do bispo diocesano, em conformidade com a Conferência Episcopal Portuguesa.

CB/OC

Partilhar:
Share