Reitor refere necessidade de manter sentido de «responsabilidade» e precaução

Foto: Lusa

Fátima, 12 mai 2022 (Ecclesia) – O reitor do Santuário de Fátima destacou hoje o “número significativo” de peregrinos a pé que acorrem à Cova da Iria em peregrinação, desde o levantamento das restrições impostas pela pandemia.

“Eram tantos os peregrinos que anteciparam a vinda a Fátima que a nossa expectativa era que não houvesse uma presença tão significativa nestes dias 12 e 13. Enganamo-nos”, reconheceu o padre Carlos Cabecinhas, esta tarde, na conferência de imprensa de lançamento da peregrinação internacional aniversária de maio.

O responsável detalhou que o Santuário nacional tem recebido um “número significativo de peregrinos a pé”, a partir da Páscoa, para evitar “grandes aglomerações”; esse facto não significou “uma diminuição de grupos” nesta peregrinação de maio.

O padre Carlos Cabecinhas aludiu ainda a uma presença “crescente” de grupos organizados a partir de março, com o regresso “progressivo” das peregrinações, nacionais e do estrangeiro.

Na primeira peregrinação sem máscaras desde o início da pandemia, o sacerdote destacou que o Santuário continua a manter uma atitude de prudência.

“Não sentimos uma menor responsabilidade e continuamos a sugerir aos peregrinos o uso de máscara, sobretudo nos lugares de maior aglomeração de pessoas”, precisou.

O reitor do Santuário falou de “pequenas” alterações ao programa celebrativo, que entra em vigor hoje, sendo a mais significativa relativa à programa da noite do dia 12, que passa a ter uma Celebração da Palavra, após o terço e a Procissão das Velas.

Até ao momento, fizeram-se anunciar nos serviços do Santuário de Fátima 119 grupos: 62 de Portugal, 4 da Alemanha, 2 da Áustria, 4 do Brasil, 2 de Cabo Verde, 1 do Canadá, 1 da Croácia, 1 de El Salvador, 4 de Espanha, 6 dos Estados Unidos, 1 das Filipinas, 4 de França, 2 de Gibraltar, 2 da Irlanda, 12 de Itália, 1 da Letónia, 1 de Malta, 2 do México, 2 da Polónia, 1 da República Dominicana, 1 da Suíça e 1 do Vietname.

Milhares de peregrinos percorrem as estradas em direção à Cova da Iria. Para muitos é um regresso, após dois anos sem puderem vir presencialmente a Fátima, participar numa Peregrinação Aniversária. Um caminho árduo, onde a fé é o alívio que sustenta e guia.

Santuário de Fátima

Esta é também a primeira peregrinação internacional desde que D. José Ornelas é bispo de Leiria-Fátima (13 de março), o qual falou numa celebração “que se estende para o mundo”.

O responsável disse aos jornalistas que o Santuário é um “sinal muito interessante do que é a Igreja”.

“Maria apresenta-se como aquela que cuida dos mais frágeis e pequenos”, acrescentou.

D. José Ornelas sublinhou a ligação aos Papas a Fátima, que se foi acentuando nos últimos pontificados, apontando à visita de Francisco à Cova da Iria em 2023, no contexto da próxima Jornada Mundial da Juventude (Lisboa, 1 a 6 de agosto de 2023).

“Já estamos a pensar, também na diocese, no que isso significará”, apontou, deixando votos de que Fátima seja um lugar de “convergência”, “de partida e de missão”.

A Peregrinação Internacional Aniversária de maio vai ser presidida pelo substituto da Secretaria de Estado do Vaticano, o arcebispo venezuelano D. Edgar Peña Parra, que foi núncio apostólico em Moçambique de 2014 a 2018; o responsável não marcou presença na habitual conferência de imprensa de apresentação das celebrações.

O Santuário de Fátima informou que as peregrinações internacionais aniversárias, de junho a outubro, vão ser presididas por bispos de língua portuguesa: D. Virgílio Antunes, bispo de Coimbra (em junho); D. João Lavrador, bispo de Viana do Castelo (julho); D. Edgar Cunha, bispo brasileiro de Fall River, nos Estados Unidos da América (agosto); D. José Cordeiro, arcebispo de Braga (setembro), e D. José Ornelas, bispo da Diocese de Leiria-Fátima, no mês de outubro.

A 10 de junho regressa a tradicional Peregrinação das Crianças ao Santuário de Fátima, uma das “mais significativas”, segundo o reitor.

O calendário de atividades prevê ainda que se retomem as férias para pais de filhos com deficiência, suspensas durante a pandemia.

O Santuário de Fátima está a reforçar o acolhimento aos peregrinos nas celebrações dominicais e nas grandes peregrinações internacionais aniversárias, com o apoio de voluntários.

O padre Carlos Cabecinhas elogiou o crescimento do voluntariado jovem, destacando o projeto ‘Escutar Fátima’, que prevê o cumprimento de um itinerário de espiritualidade, centrado na Mensagem de Fátima, para membros do Corpo Nacional de Escutas

OC

Na conferência de imprensa, D. José Ornelas elogiou a atenção que se está a dar ao “respeito pelas crianças”.

O presidente da Conferência Episcopal Portuguesa (CEP) sublinhou a “recomendação” para que as pessoas se manifestem, caso tenham conhecimento de situações de abusos de menores, destacando que esta é uma “vontade explícita, tornada pública e incentivada” pelos bispos.

Segundo o responsável, a Igreja Católica em Portugal quer “fazer tudo para que estes casos dramáticos não aconteçam” e estar preparados para os enfrentar, quando se verificarem.

Partilhar:
Share