Celebração na Basílica de Nossa Senhora do Rosário é transmitida online

Fátima, 03 mar 2020 (Ecclesia) – O Santuário de Fátima vai assinalar hoje o centésimo primeiro aniversário da morte de S. Francisco Marto com uma celebração às 17h30 na Basílica de Nossa Senhora do Rosário e que pode ser acompanhada na transmissão online.

Na informação enviada à Agência ECCLESIA, o Santuário de Fátima informa que vão recordar “a vida e os traços da espiritualidade” do “pequeno vidente” Francisco Marto na leitura “atenta” de um excerto da Quarta Memória da Irmã Lúcia de Jesus, sua prima.

A celebração começa às 17h30, na Basílica de Nossa Senhora do Rosário, e pode ser acompanha através da transmissão pela internet no sítio online do santuário mariano, em www.fatima.pt, e no seu canal do Youtube e na página da rede social Facebook.

São Francisco Marto, que a iconografia apresenta de carapuço na cabeça e jaleca curta, com o cajado e o saco do farnel ao pescoço, nasceu em 11 de junho de 1908 e foi batizado em 20 de junho na igreja paroquial de Fátima.

Aos 8 anos de idade, com a sua irmã Jacinta, começou a pastorear o rebanho dos pais pela zona da Cova da Iria, onde, com a prima Lúcia, testemunharam as aparições de Nossa Senhora.

Francisco e Jacinta Marto foram canonizados na Missa da primeira Peregrinação Internacional Aniversária do Centenário das Aparições, presidida pelo Papa Francisco, a 13 de maio de 2017, no Santuário de Fátima.

A canonização dos mais jovens santos não-mártires da história da Igreja Católica foi aprovada a 23 de março, quando o Vaticano anunciou que o Papa reconheceu o milagre atribuído aos pastorinhos, a última etapa do processo que “iniciado há 65 anos”.

O Santuário de Fátima recorda que milagre foi a cura de Lucas, uma criança brasileira de cinco anos, que caiu de uma janela, a uma altura de 6,5 metros no dia 3 de março de 2013, ficando em coma, com perda de tecido cerebral no lóbulo frontal direito, e a oração da família e das irmãs do Carmelo de Campo Mourão, no Brasil, pedindo a intercessão de Francisco e Jacinta, resultou na cura total de Lucas, facto que os médicos não conseguem explicar.

São Francisco Marto viveu “intensamente” a oração contemplativa, “levado pelo desejo íntimo de consolar o coração de Jesus, pois afirmava que queria dar alegria a um Deus que estava triste com os agravos ao Seu coração”, e passava horas seguidas em frente ao sacrário, na igreja de Fátima, quando a prima e a irmã iam para a escola.

A 18 de outubro de 1918, o pastorinho vidente adoeceu, vítima da epidemia da gripe pneumónica, também conhecida por gripe espanhola; A 2 de abril de 1919, confessou-se e recebeu a comunhão pela última vez “com uma grande lucidez e piedade”, escreveu o pároco de Fátima no Livro de Óbitos, a 4 de abril, acrescentando: “E confirmou que tinha visto uma Senhora na Cova da Iria e Valinho”.

Francisco Marto foi sepultado no cemitério de Fátima, os seus restos mortais foram exumados a 17 de fevereiro de 1952, e trasladados para a Basílica de Nossa Senhora do Rosário de Fátima, no dia 13 de março, informa ainda o santuário mariano da Cova da Iria.

CB

Partilhar:
Share