Santuário fala num dos momentos «mais participados» desde o início da pandemia

Foto: Santuário de Fátima

Fátima, 03 ago 2020 (Ecclesia) – O Santuário de Fátima acolheu este domingo milhares de peregrinos na Missa a que o reitor da instituição presidiu, no Recinto de Oração, num dos momentos mais participados, desde o início da pandemia.

“Este primeiro domingo de agosto foi, porventura o primeiro momento deste ano, em contexto de pandemia, a registar a afluência de milhares de peregrinos à Cova da Iria”, refere uma nota da instituição, enviada à Agência ECCLESIA.

O reitor do Santuário, padre Carlos Cabecinhas, falou na sua homilia da lógica da “compaixão e da partilha”.

“A lógica de cada um por si, que compreendemos muito bem porque é sedutora, sobretudo quando nós temos o necessário, que é apenas outra forma de dizer egoísmo, que se manifesta na indiferença perante os outros, é a lógica que Jesus rejeita”, afirmou.

A intervenção, divulgada pelo Santuário de Fátima, ligou a Eucaristia ao pão diário, necessário para a vida terrena, desafiando os peregrinos presentes na Cova da Iria, e os peregrinos que seguiam a celebração pelos meios de comunicação social e digital, a olhar para o milagre da multiplicação dos pães e a fazer dele um desafio de vida.

“Este milagre está ao nosso alcance: gostaríamos que Deus viesse resolver de forma imediata, fácil e indolor, os problemas que nos afligem. Ma este não é o modo de agir de Deus; Ele continua a realizar estes milagres, mas fá-lo através de nós”, observou o sacerdote.

Este é o sentimento que encontramos nos Pastorinhos de Fátima: a compaixão diante dos pecadores, também pelos mais pobres e, por isso, a disposição para partilhar com eles o pouco que tinham. Eram crianças pobres, mas partilhavam o pouco que tinham”.

O Santuário de Fátima destaca que a celebração decorreu “no respeito pelas regras sanitárias em vigor”, com uso de máscara e distanciamento social.

Nos próximos dias 12 e 13 vai decorrer a peregrinação internacional aniversária de agosto, também conhecida como a Peregrinação dos Migrantes e Refugiados.

A partir desta quinta-feira, o Santuário propõe um “itinerário de aprofundamento espiritual, em oito passos, de forma a preparar a participação efetiva dos peregrinos neste momento tão especial”.

OC

Partilhar:
Share