Cardeal recordou 400 mil novos pobres, por causa da pandemia

Fátima, 18 jul 2021 (Ecclesia) – O cardeal D. António Marto lembrou hoje em Fátima os 400 mil pobres que a pandemia provocou em Portugal e disse que a luta contra a pobreza deve ser um “desígnio nacional”.

“Que ninguém olhe o outro com indiferença; que nenhum vire a cara diante do sofrimento de tantos”, exortou o bispo de Leiria-Fátima, na homilia da Missa a que presidiu no recinto de oração do santuário nacional.

Perante milhares de pessoas reunidas na Cova da Iria, o responsável destacou que todos são “chamados” a responder às necessidades dos “400 mil novos pobres que esta pandemia fez”.

O cardeal citou o mais recente documento da Comissão Nacional Justiça e Paz (organismo laical da Conferência Episcopal), divulgado pela ECCLESIA, destacando que este número representa “um aumento de 25% da taxa de pobreza e um aumento da desigualdade de 9%” o que deixa Portugal “entre os cinco países da União Europeia com maior risco de pobreza”.

“Acudir a estas pessoas, não lhes ficar indiferente é um desígnio nacional”, reiterou, indicando que para os católicos esta ação passar pela “compaixão e misericórdia real e concreta”.

D. António Marto convidou a imitar a atitude de Jesus, com amor por quem sofre.

“Hoje a indiferença é um vírus; ao outro, o necessitado, viramos-lhes as costas”, advertiu, numa intervenção divulgada pelo portal do Santuário de Fátima.

O convite de Jesus desafia-nos a desenvolver uma cultura de misericórdia que nos ajuda a crescer. Que  ninguém olhe o outro com indiferença;  que ninguém vire a cara diante do sofrimento do outro”.

O presidente da celebração deixou uma mensagem aos participantes na peregrinação nacional do Movimento da Mensagem de Fátima (MMF), representados pelos estandartes diocesanos.

D. António Marto agradeceu “a assistência espiritual de proximidade” que o MMF desenvolve em todas as dioceses do país e deixou, ainda, uma palavra de “profunda gratidão” ao padre Manuel Antunes que durante 44 anos foi o rosto deste movimento e se vai aposentar, a seu pedido.

Já esta tarde, o Santuário de Fátima recebeu a bênção das fitas dos finalistas do Instituto Politécnico de Leiria

“Caros finalistas:  este é um dia especialmente importante para cada um de vós, pelo que representa: o final de uma etapa decisiva para cada um, no presente e no futuro. Os vossos familiares alegram-se convosco; os vossos professores orgulham-se do sucesso e vós alimentais as expetativas em relação ao futuro”, disse o padre Carlos Cabecinhas, reitor do Santuário de Fátima.

“Rezamos para que cada um de vós, nessa transformação, contribua para que o mundo seja um lugar melhor para habitar”, acrescentou.

OC

Partilhar:
Share