Cardeal deixou mensagem aos migrantes e refugiados que participaram na peregrinação internacional de agosto

Foto: Lusa

Fátima, 13 ago 2021 (Ecclesia) – O bispo de Leiria-Fátima disse hoje na Cova da Iria que a experiência da peregrinação abre portas a uma “fraternidade universal”, apelando à construção de um “futuro de justiça e de paz”.

“Esta peregrinação de migrantes, vindos dos mais diversos povos, é uma experiência viva e concreta da fraternidade universal, multicolor, que todos somos chamados a construir através do intercâmbio da riqueza de povos e culturas, na harmonia e na paz entre todos”, referiu D. António Marto, no final da Missa de 13 de agosto, desde o altar do recinto de Oração.

O cardeal desafiou os peregrinos a caminhar em conjunto e “construir juntos um futuro de justiça e de paz” para o planeta.

“Aqui, na Casa da Mãe, sentimo-nos todos irmãos e irmãs, ‘fratelli tutti’, todos irmãos. É belo fazer esta experiência, aqui no Santuário”, acrescentou, evocando a mais recente encíclica do Papa Francisco, sobre a fraternidade e a amizade social.

Perante milhares de peregrinos, D. António Marto destacou que a oração do Santuário de Fátima “está ligada à geografia do mundo, quer dizer, a todas as necessidades e problemas dos povos e países de onde partem ou onde chegam e são acolhidos todos os migrantes e refugiados”

“A nossa oração é universal e torna o nosso coração universal, também”, indicou.

O bispo de Leiria-Fátima confessou particular “encanto, ternura e emoção” pela presença dos migrantes e refugiados que acorrem à Cova da Iria, nesta peregrinação internacional de agosto, ainda marcada pelas limitações da pandemia.

“Um grande abraço do coração, abraço de amizade, que alcance todos vós aqui presentes e todos aqueles que gostariam de estar aqui”, declarou.

A peregrinação internacional tradicionalmente dedicada aos migrantes foi presidida pelo cardeal Jean-Claude Hollerich, arcebispo do Luxemburgo e presidente da Comissão dos Episcopados Católicos da União Europeia (COMECE).

D. António Marto deixou uma palavra de reconhecimento ao cardeal, apresentando-o como “um grande defensor da dignidade e dos direitos dos migrantes e refugiados”, passagem da sua intervenção sublinhada pelos presentes com uma salva de palmas.

O cardeal português agradeceu a D. Jean-Claude Hollerich pelas suas palavras e saudou-o como “grande amigo das comunidades portuguesas no Luxemburgo e grande amigo de Portugal”.

O Santuário de Fátima informou esta manhã que mais de 13 mil peregrinos ocuparam 90% da lotação prevista de 15 mil pessoas para a Missa conclusiva da peregrinação internacional, na Cova da Iria.

A Igreja Católica em Portugal está a celebrar de 8 a 15 de agosto a 49ª Semana Nacional de Migrações, com o tema ‘Rumo a um nós cada vez maior’.

OC

Refugiados: Presidente da Comissão dos Episcopados da União Europeia critica política comunitária

 

Partilhar:
Share