O casal brasileiro Fabíola Goulart e Gustavo Huguenin apresentou sobre o tema no Encontro Mundial das Famílias

Foto Ricardo Perna/Família Cristã

Ricardo Perna, da Família Cristã, em serviço especial para a Agência ECCLESIA

Cidade do Vaticano, 25 jun 2022 (Ecclesia) – Fabíola Goulart, jornalista, e Gustavo Huguenin, coordenador de comunicação, defendem uma presença da família nas redes sociais a partir da identidade que ajude a “discernir melhor entre as diversas vozes no ambiente digital, o diálogo e o testemunho.

“Na identidade, cada pessoa da família tem de ter bem claro quem é e para onde vão, os valores. Que os pais passem isso para os filhos. Se sabem quem são, conseguem discernir melhor entre as diversas vozes no ambiente digital”, disse Fabíola Goulart.

Em declarações à Agência ECCLESIA no Encontro Mundial das Famílias, a jornalista disse que o diálogo entre pais e filhos é uma ajuda recíproca, assim como o testemunho.

“Muitas vezes os pais exigem, tentam controlar a utilização e a presença dos filhos no ambiente digital, mas falta também um pouco de sentido crítico, de consciência dos pais no ambiente das redes sociais. É interessante saber que testemunho eu, como pai, como mãe, estou a dar aos meus filhos nas redes sociais. Não lhe posso pedir que fique menos nas redes sociais se eu fico o tempo todo”, afirmou.

Para Gustavo Huguenin, é necessário procurar um equilíbrio entre “riscos e possibilidades” das redes sociais.

“Não podemos negligenciar nem um lado nem o outro. Procuramos esse equilíbrio para apresentar um caminho de discernimento e as famílias possam amadurecer o conhecimento sobre como estar presente nas redes sociais”, afirmou.

O casal do Brasil, que tem colaborado nas dinamização das redes sociais da Jornada Mundial da Juventude, disse também que é necessário investir e profissionalizar a comunicação na Igreja Católica.

“Acredito que a Igreja estar a dar passos na valorização e profissionalização da comunicação. São passos tímidos, mas são passos. Por exemplo, o facto deste assunto ser tratado no Encontro das Famílias, é uma abertura! A sociedade é muito mais rápida! E se a Igreja não consegue acompanhar esse ritmo, outras vozes chegam primeiro à família”, disse Fabíola Goulart.

Gustavo Huguenin considera que “há um movimento muito grande, até na área académica na Igreja, dentro da área da comunicação, com pesquisas sobre ciberteologia, presença no ambiente digital, evangelização e catequese online”, afirmando por isso que a Igreja Católica faz parte da mudança provocada pelas tecnologias de comunicação.

Foto Ricardo Perna/Família Cristã

Questionada sobre a tensão entre o digital e o presencial, Fabíola Goular afirmou que a comunicação entre os crentes tem por finalidade convocar para a presença nas comunidades e disse que “os frutos” dos vários projetos de comunicação religiosos estão na procura da Igreja por parte dos crentes.

O X Encontro Mundial das Famílias está a decorrer em Roma, em ligação com as dioceses de todo o mundo; a delegação de Portugal a este encontro, no Vaticano, é constituída pelos seis casais do Departamento Nacional da Pastoral Familiar, a irmã Inês Senra, o assistente padre Francisco Ruivo,  o presidente da Comissão Episcopal Laicado e Família D. Joaquim Mendes, D. Armando Esteves, que integra a mesma comissão, e o secretário da comissão José Francisco Cruz.

PR

Reportagem em Roma no âmbito do X Encontro Mundial das Famílias resulta de uma parceria entre a Agência Ecclesia, a Família Cristã, o Diário do Minho e a Associação de Imprensa de Inspiração Cristã

 

Partilhar:
Share