Arcebispo deixou palavra de agradecimento aos sacerdotes, que acompanharam comunidades mais atingidas pela pandemia

Quinta-feira Santa, às 18h30: Ceia do Senhor e Adoração do Santíssimo na Catedral de Évora

Quinta-feira Santa, às 18h30: Ceia do Senhor e Adoração do Santíssimo na Catedral de Évora

Posted by Arquidiocese de Évora on Thursday, April 1, 2021

Évora, 01 abr 2021 (Ecclesia) – O arcebispo de Évora disse hoje, na Missa vespertina de Quinta-feira Santa, que os católicos devem “aprender a viver a partir dos últimos”, imitando os gestos de entrega de Jesus Cristo.

“A vida só existe verdadeiramente quando nos damos”, referiu, na homilia da Eucaristia que evoca a Última Ceia.

O responsável falou do tradicional gesto do lava-pés, simbolizando o amor ao próximo, à imagem do que fez o próprio Jesus, segundo o relato dos Evangelhos; em 2021, devido à pandemia, este gesto não se realizou durante a Missa que inaugura o Tríduo Pascal.

O arcebispo de Évora convidou a uma “identificação com Cristo”, que deixou aos seus discípulos um “mandamento de amor, a caridade”.

A Missa da Ceia do Senhor assinala a instituição da Eucaristia e do sacerdócio, na Igreja Católica.

“A Eucaristia é indissociável do servir e do amar”, indicou D. Francisco Senra Coelho.

Na celebração, que marca o início do Tríduo Pascal, o responsável deixou uma palavra de reconhecimento e admiração a todos os que, ao longo da história, “resistiram até à morte”, para defender a Eucaristia, e os que arriscam a vida para celebrar a Missa, ainda hoje.

A Igreja Católica celebra desde esta tarde o ciclo central do calendário católico ligado à morte e ressurreição de Jesus Cristo, pelo segundo ano consecutivo com limitações impostas pela pandemia de Covid-19.

Esta manhã, o arcebispo de Évora tinha presidido à Missa Crismal, celebração em que o clero de cada diocese se reúne, renovando as suas promessas sacerdotais.

Foto: Arquidiocese de Évora

D. Francisco Senra Coelho destacou, na sua homilia, o papel desempenhado por muitos sacerdotes nos Centros Sociais Paroquiais e Misericórdias.

“Agradeço a vossa fidelidade, na permanência e no acompanhamento das comunidades cristãs, durante a dureza da pandemia, nos seus momentos mais duros e exigentes”, declarou.

Nesta Eucaristia foram abençoados os óleos dos catecúmenos e dos enfermos e consagrado o óleo do crisma, utilizados na celebração de vários sacramentos.

OC

Partilhar:
Share