Paço Episcopal de Faro; Foto Samuel Mendonça/Folha do Domingo

Faro, 23 mar 2019 (Ecclesia) – A Diocese do Algarve vai abrir o Paço Episcopal de Faro ao público que vai poder visitar as principais salas de um dos edifícios “mais representativos” da Arquitetura Chã no Algarve.

Na informação enviada à Agência ECCLESIA, o jornal diocesano ‘Folha do Domingo’ adianta que a cerimónia de abertura do Paço Episcopal ao público começa pelas 18h30, do dia 11 de abril.

O público vai entrar pela porta principal do edifício, onde tem acesso ao átrio e a um painel alusivo à virtude teologal da caridade, na sala à direita; No patamar de descanso das escadarias de acesso ao piso nobre pode ser admirado o painel das virtudes, tardo-barroco, alusivo às cinco virtudes representando a Prudência, a Fé, a Esperança, a Justiça e a Fortaleza; a coroar a composição, o brasão do bispo D. Frei Lourenço de Santa Maria ladeado por dois anjos.

As três salas superiores vão ter a designação de “Sala da Unidade da Igreja”, “Galeria dos Bispos” e “Antiga Sala do Trono”, segundo a Diocese do Algarve o nome da primeira foi atribuída porque o espaço exprime, num período histórico conturbado (1750-1777), “o empenho do bispo D. Frei Lourenço de Santa Maria em reafirmar a comunhão da diocese com o Papa”.

O conjunto de azulejos do século XVIII é um dos elementos de “maior riqueza”, desde o átrio passa pela escadaria às salas do primeiro andar, e estes últimos revelam “uma enorme riqueza cromática”.

As visitas vão ser de entrada paga, mas o valor do ingresso ainda não foi definido e esta iniciativa tem estado a ser preparada com o apoio de técnicos do Museu Municipal de Faro.

Nos últimos meses, assinala o ‘Folha do Domingo’, o edifício tem estado em obras de restauro “ao nível da caixilharia e do gradeamento das janelas da fachada principal” no largo da Sé e lateral na rua do Município, e os pavimentos foram também recuperados.

O objetivo de abrir o Paço Episcopal de Faro aos visitantes já tinha sido anunciado por D. Manuel Quintas durante a inauguração da ‘Exposição para a Difusão do Conhecimento – Núcleo Histórico da Imprensa de Gutenberg e do Pentateuco de Faro’, patente na antiga capela do Paço Episcopal.

“É um testemunho vivo da atenção dos bispos desta diocese à promoção da cultura e à valorização do espaço urbano da cidade, contribuindo para fazer do largo da Sé o espaço nobre, o seu ex-libris”, destacou o bispo diocesano, em novembro de 2018.

A construção do Paço Episcopal, com D. Afonso Castel-Branco (1581-1585), aconteceu no contexto da transferência da sede do bispado do Algarve de Silves para Faro, em 1577, que foi um “ponto de viragem na história cidade”.

O jornal diocesano contextualiza ainda que depois do terramoto de 1755, o edifício foi reedificado e ampliado, por D. Frei Lourenço de Santa Maria (1752-1783), destacando-se no seu desenho, os telhados de quatro águas e o portal.

CB

Partilhar:
Share