D. António Carrilho realça que vida «é uma missão a cumprir»

Funchal, 29 mai 2018 (Ecclesia) – O bispo do Funchal afirmou que a “vida é um dom de Deus” e “uma missão a cumprir”, no contexto do debate sobre a legalização da eutanásia, que chega hoje ao Parlamento.

“Têm sido muitas as vozes que se fazem ouvir a tomar posição em nome da ciência, de uma ética natural e dos mais nobres sentimentos humanos contra uma tal legislação afirmando, em síntese, que não se elimina o sofrimento com a morte”, assinalou D. António Carrilho, este domingo.

Na informação enviada à Agência ECCLESIA, pelo gabinete de informação da diocese, o bispo do Funchal realçou que “com a morte se elimina a vida da pessoa que sofre”.

“A vida é um dom de Deus, uma missão a cumprir”, realçou na homilia de encerramento do Dia Diocesano da Família, no Parque de Santa Catarina.

D. António Carrilho explicou que a sociedade portuguesa é interpelada a “responder à exigência, não mais adiável, de estender a todos o acesso aos cuidados paliativos”, no documento ‘Cuidar até ao fim com compaixão’, assinado por oito comunidades religiosas – cristãos, muçulmanos, judeus, hindus e budistas – em Portugal.

CB/OC

Partilhar:
Share