Secretário da CEP expressou a «enorme tristeza» pela votação na Assembleia da República

Foto Lusa, Resultado das votações dos projetos de lei sobre a eutanásia

Lisboa, 20 fev 2020 (Ecclesia) – A Conferência Episcopal Portuguesa (CEP) afirmou hoje que acompanhou a aprovação dos projetos de lei sobre a despenalização da eutanásia com “enorme tristeza” e apoia todas as iniciativas que atuem na “defesa da vida”.

“É com enorme tristeza que assistimos hoje à decisão da Assembleia da República ao aprovar, em votação na generalidade, cinco projetos de despenalização da eutanásia”, refere um comunicado do secretário e porta-voz da CEP enviado à Agência ECCLESIA.

O padre Manuel Barbosa recorda a posição do Conselho Permanente de 11 de fevereiro, onde assume a necessidade de defesa da vida “em profunda sintonia com o Papa Francisco”, que desafia os profissionais da saúde a “terem em vista constantemente a dignidade e a vida da pessoa, sem qualquer cedência a atos como a eutanásia, o suicídio assistido ou a supressão da vida, mesmo se o estado da doença for irreversível”.

“A Conferência Episcopal acompanha e apoia todas as iniciativas que continuarão a decorrer pela defesa da vida e contra a eutanásia”, refere o comunicado.

O porta-voz da CEP lembra as declarações do cardeal-patriarca de Lisboa e presidente da Conferência Episcopal Portuguesa desta tarde, no contexto do debate parlamentar, que sublinha a necessidade da vida ser “devidamente contemplada em todo o arco existencial”.

“Aquilo que importa enquanto Igreja, e importa a muitas outras forças da sociedade civil – a maior parte delas nem são propriamente presenças religiosas, são profissionais e de outras áreas – e até inter-religiosas, é que a vida seja devidamente contemplada em todo o arco existencial, independentemente do que possa acontecer legislativamente”, disse D. Manuel Clemente.

Para o cardeal-patriarca de Lisboa, afirmar a vida “no seu todo” é “uma insistência” e uma convicção que “permanece independentemente do que possa acontecer legislativamente”, que implica todos “como sociedade, crentes e não crentes”, disse esta tarde aos jornalistas.

A Assembleia da República aprovou esta quinta-feira cinco projetos de lei  – BE, PS, PAN, PEV e Iniciativa Liberal – que visam a legalização da eutanásia em Portugal.

Os cinco projetos vão agora ser analisados na respetiva comissão parlamentar, depois segue-se a votação final e é enviado para apreciação do Presidente da República.

O movimento “#simavida” quer apresentar ao Parlamento uma Iniciativa Popular de Referendo  nacional sobre “a (des)penalização da morte a pedido” e está a promover uma recolha de assinaturas no âmbito do debate sobre a eutanásia.

CB/OC/PR

Partilhar:
Share