«Desde a sua fundação, Europa vive maior encruzilhada de sempre» – Padre José Júlio Rocha

Angra do Heroísmo, Açores, 23 mai 2019 (Ecclesia) – O assistente da Comissão Diocesana Justiça e Paz de Angra convida todos a exercer o seu direito ao voto, nas eleições europeias deste domingo, e afirma que “a indiferença” em relação à Europa “é razoavelmente assustadora”.

“Convido as pessoas a exercerem o seu direito ao voto, que é também um dever, porque o voto é um dos direitos fundamentais da Democracia; a indiferença das pessoas em relação aos destinos de Portugal, e neste caso da Europa, pareça razoavelmente assustadora”, disse o padre José Júlio Rocha ao portal diocesano ‘Igreja Açores’.

Segundo o sacerdote a “ausência de empenho” das populações nos destinos de Portugal e da Europa “cria novas clivagens e a Democracia fica enfraquecida”, depois, aparecem os que “recolhem esse descontentamento” e, “no limite”, a Democracia “pode correr perigo”.

Este domingo, os portugueses vão eleger 21 deputados nacionais para o Parlamento Europeu e o sacerdote considera que há necessidade de uma participação expressiva.

“Estamos a votar para eleições europeias e, desde a sua fundação, a Europa vive hoje a maior encruzilhada de sempre. Estamos diante do fenómeno do Brexit, de um euroceticismo dominante nos extremos do espetro político”, desenvolveu.

O padre José Júlio Rocha sublinha que se exige um “pronunciamento claro” sobre a Europa que se pretende: “Se queremos que seja a nossa casa comum, um espaço de liberdade das diferenças culturais, onde a matriz judaico cristã que marcou a história da Europa continue a dominar ou se queremos outra coisa”.

Segundo o assistente da Comissão Diocesana Justiça e Paz de Angra, “só a participação” poderá oferecer uma Europa “mais forte económica e cultural”.

Sobre as eleições europeias, o sítio online ‘Igreja Açores’ informa também que em Ponta Delgada estão garantidos os acessos às mesas de voto durante as festas do Santo Cristo dos Milagres, uma vez que a procissão solene, este domingo, “percorre o centro histórico da maior cidade açoriana” ao longo de quatro horas.

Esta quarta-feira, o presidente da Câmara Municipal de Ponta Delgada, José Manuel Bolieiro, reuniu-se com o delegado da Comissão Nacional de Eleições, juiz José Freitas, para garantir o acesso às mesas de voto das freguesias de São Pedro, São Sebastião e São José “que são afetadas pelas festividades do Senhor Santo Cristo dos Milagres, a maior celebração religiosa da ilha de São Miguel”.

CB/OC

Partilhar:
Share