Francisco salienta que os testemunhos de «amor generoso e gratuito», dos últimos meses, deixaram uma marca «indelével nas consciências e no tecido social»

 

Cidade do Vaticano, 19 fev 2021 (Ecclesia) – O Papa Francisco disse que é necessário “compromisso, força e a dedicação de todos” para construir um amanhã após a pandemia, numa mensagem ao 65º Congresso de Educação Religiosa promovido pela Arquidiocese de Los Angeles (EUA).

“Os testemunhos de amor generoso e gratuito, que testemunhamos ao longo destes meses, deixaram uma marca indelével nas consciências e também no tecido social, ensinando que a proximidade, o cuidado, o acompanhamento e o sacrifício são necessários para alimentar a fraternidade”, explicou o Papa na sua mensagem em vídeo.

Segundo Francisco, divulga o portal ‘Vatican News’, é necessário “compromisso, a força e a dedicação de todos” para construir um amanhã após a pandemia Covid-19.

“Devemos agir com o estilo do samaritano, o que implica deixar-me atingir pelo que vejo, sabendo que o sofrimento me mudará, e devo comprometer-me com o sofrimento do outro”, assinalou.

‘Proclama a promessa’ é o tema do 65º Congresso de Educação Religiosa promovido pela Arquidiocese de Los Angeles, nos Estados Unidos da América (EUA).

“Precisamos anunciar e lembrar que temos a promessa de Deus e que Deus sempre cumpre suas promessas: Cada mulher, cada homem e cada geração trazem dentro de si uma promessa que pode desencadear novas energias relacionais, intelectuais, culturais e espirituais”, desenvolveu Francisco.

O Papa recordou que as pessoas “nunca” saem iguais das crises, ou “melhores ou piores, mas nunca iguais”.

“Nas crises, cada pessoa revela o seu coração, a sua solidez, a sua misericórdia, a sua grandeza e a sua pequenez. As crises colocam-nos diante da necessidade de escolher, de optar e nos comprometer com um caminho”, acrescentou.

A Arquidiocese norte-americana de Los Angeles para além do 65º Congresso de Educação Religiosa também celebra hoje o 50º Dia Diocesano da Juventude, e o Papa pediu aos jovens que “sejam os poetas de uma nova beleza humana, uma nova beleza fraterna e amigável”.

“Os sonhos constroem-se juntos. Sonhamos como uma única humanidade, como viajantes feitos da mesma carne humana, como filhos desta mesma terra que acolhe a todos nós, cada um com a riqueza de sua fé ou de suas convicções, cada um com a sua voz, todos irmãos”, desenvolveu Francisco na mensagem à diocese norte-americana.

CB

Partilhar:
Share