Numa iniciativa do Departamento de Estado dos Estados Unidos da América

Cidade do Vaticano, 24 jun 2019 (Ecclesia) – A coordenadora da Rede internacional ‘Talitha Kum’, a irmã Gabriella Bottani, recebeu o prémio ‘Heróis contra o tráfico de pessoas’, num evento presidido pelo secretário de Estado norte-americano, Mike Pompeo, em Washington, nos Estados Unidos da América.

“Aceitei este reconhecimento internacional no décimo aniversário de ‘Talitha Kum’ para agradecer e mostrar o trabalho que desenvolvemos no mundo no combate ao tráfico de pessoas”, disse a religiosa italiana.

Ao sítio online ‘Vatican News’, a irmã Gabriella Bottani revela que o trabalho contra o tráfico de seres humanos é “um desafio grande que continua a ser atual”.

“Um trabalho que nos pede cada vez mais para superar todas as divisões para promover a dignidade de cada pessoa, independentemente das ideologias, do passaporte, porque todos somos pessoas dignas e temos direito à liberdade”, desenvolve.

A irmã Gabriella Bottani recebeu o prémio ‘Heróis contra o tráfico de pessoas’ 2019, com mais nove “heróis”, que são nomeados pelo Departamento de Estado dos EUA quando publica um relatório sobre o tráfico de pessoas onde avalia os esforços realizados por governos estrangeiros no combate a este crime.

“A sua dedicação salvou inúmeras vidas”, disse a embaixadora dos Estados Unidos junto da Santa Sé, Callista Gingrich, na apresentação da freira Comboniana onde recordou o seu compromisso em especial no Brasil.

Gabriella Bottani recordou que o seu compromisso neste serviço começou no Brasil, em 2007, quando descobriu “a importância do trabalho em rede e da colaboração” no combate ao tráfico e coordenou durante anos a Rede ‘Um Grito pela Vida’.

“Um trabalho que tem que enfrentar as causas, acompanhar e resgatar as vítimas em processos de reabilitação social”, explicou, divulga o ‘Vatican News’.

A rede internacional da vida consagrada contra o tráfico de seres humanos ‘Talitha Kum’ foi organizada pela União Internacional das Superioras Gerais (UISG) e nasceu em junho de 2009, na Itália.

A rede que tem sede em Roma está presente em 77 países, envolve duas mil religiosas e o seu sítio online tem versão em português; Para além das superioras das congregações femininas reúne a Organização Internacional para as Migrações (OIM).

O Papa Francisco instituiu um Dia de Oração contra o Tráfico Humano, em 2015, que se celebra, anualmente, a 8 de fevereiro, festa de Santa Josefina Bakhita, uma religiosa do Sudão que foi vítima do tráfico, quando era criança.

CB

Partilhar:
Share