Postulador da Causa do fundador do Movimento detalhou processo durante encontro internacional

Fátima, 18 jul 2018 (Ecclesia) – A causa de canonização do padre Henri Caffarel, fundador das Equipas de Nossa Senhora, aguarda um milagre para que a beatificação possa acontecer.

“Até agora foram referidas muitas graças atribuídas ao padre Caffarel, sobretudo a sua fama de santidade e de sinais, mas não podem ser submetidas ao exame e à crítica dos médicos. Estes sinais são, sem dúvidas, importantes porque são reflexo de uma confiança difundida e generalizada na influência deste servo de Deus, somos informados anos depois de as mesmas terem acontecido. Esperamos que em algum lugar do mundo haja uma que possa ser reconhecida como um verdadeiro milagre”, afirmou esta manhã, em Fátima, o padre Angelo Paleri, franciscano, postulador da causa de canonização do padre Caffarel.

O responsável apresentou no encontro Internacional das Equipas de Nossa Senhora o processo que levou à constituição da Causa, cujo início aconteceu em 2005 com a constituição da associação dos amigos do padre Caffarel.

Em abril de 2006 arcebispo de paris, o cardeal Andrés Vingt-Trois, autorizou a abertura do processo diocesano que decorreu entre março de 2007 e outubro de 2014.

A 10 de novembro de 2014 as atas do inquérito foram entregues à Causa de Canonização, em Roma, tendo o material sido examinado “durante um ano”; a validação do inquérito diocesano aconteceu em outubro de 2015.

O postulador da causa de canonização do padre Caffarel adverte para a necessidade de se procurar “entre as graças uma que possa ser submetida ao exame e à crítica dos médicos encarregados do exame clínico”.

“Qualquer cura física para ser demonstrada como milagre deve basear-se num dossier clinico pormenorizado que percorre toda a cronologia da patologia. Antes de instruir um inquérito diocesano sobre um possível milagre, a documentação dever ser examinada por um médico do colégio dos médicos do Vaticano. No final do inquérito diocesano sobre o suposto milagre deverá redigir-se uma positio para que o milagre seja reconhecido”, detalha o padre Angelo Paleri.

O responsável dá conta da pressa para ver a canonização do fundador do Movimento das Equipas de Nossa Senhora mas adverte ser necessário “prever o tempo necessário” para completar as diferentes fases, mas sublinha que o mais importante é encontrar o “suposto milagre a partir do qual se possa construir um processo diocesano”.

“Todos esperamos que as fases possam ser realizadas o mais rápido possível”, enfatizou, pedindo aos participantes, no final da sua intervenção, que recitem a oração para a beatificação do Servo de Deus Henri Caffarel.

LS

Partilhar:
Share