Cardeal Giuseppe Versaldi apresentou em Lisboa os princípios orientadores do Papa para o setor

Lisboa, 30 jan 2019 (Ecclesia) – O responsável do Vaticano pelo setor da Educação, cardeal Giuseppe Versaldi, disse hoje em Lisboa que a Universidade Católica deve ser protagonista do “diálogo global”, com uma revisão de conteúdos e métodos de ensino, rejeitando qualquer “alheamento” do contexto social e cultural.

“As Faculdades e Universidades eclesiásticas são chamadas a cumprir a missão de se tornarem lugares onde a busca da verdade também passa pelo debate inter-religioso e intercultural”, sublinhou, numa conferência sobre ‘Os desafios das Universidades Católicas no pensamento do Papa Francisco’, promovida pela UCP.

O ‘ministro’ da Educação do Vaticano defendeu um papel de “laboratório cultural”, por parte das universidades ligadas à Igreja Católica, cuja identidade contribui para a “pluralidade de ofertas” na sociedade.

Em janeiro de 2018, o Vaticano divulgou a constituição apostólica ‘A alegria da verdade’ (Veritatis Gaudium), do Papa Francisco, que apresenta uma nova visão para as universidades e faculdades eclesiásticas, apelando a uma “mudança radical de paradigma”, uma “corajosa revolução cultural”, que exige a “renovação do sistema dos estudos”.

Centrando-se nas propostas deste documento pontifício, o cardeal Versaldi sublinhou a necessidade de ir ao “coração do Evangelho”.

A estreita ligação entre o amor de Deus e o amor aos pobres, como manda o Evangelho, permite ao Papa chamar os estudos eclesiásticos à missão universal da Igreja”.

Aposta na interdisciplinaridade e transdisciplinaridade para se chegar à “convergência” dos saberes, na perspetiva católica, na “única verdade que subjaz a toda a realidade”.

O prefeito da Congregação para a Educação Católica (Santa Sé) destacou que o Papa se afasta de qualquer “atitude defensiva”, desafiando a Igreja a ir para o “terreno”, numa atitude de “conversão missionária”.

“O Papa Francisco não se satisfaz com a lógica inserção das Faculdades e Universidades eclesiásticas no processo geral de transformação missionária da Igreja: confia-lhes uma tarefa específica e um papel estratégico”, precisou.

As novas orientações pontifícias, assinalou o cardeal Giuseppe Versaldi, convidam as várias instituições académicas a “criar rede”, no atual processo de globalização, para responder a problemas que dizem, cada vez mais, respeito a toda a humanidade.

O Papa, acrescentou, manifesta a sua preocupação com a “massificação do pensamento único dominante”, que elimina “diferenças e minorias culturais”.

Na abertura da sua intervenção, o responsável da Cúria Romana saudou a celebração do 50.º aniversário da Universidade Católica Portuguesa (UCP), criada em 1967, e elogiou a “perseverança” do compromisso da UCP na sociedade.

A sessão foi inaugurada pela reitora da UCP, Isabel Capeloa Gil, a qual declarou que esta visita do prefeito da Congregação para a Educação surge como “um reconhecimento da atenção com que a Santa Sé olha para a Universidade Católica” em Portugal.

A conferência, com entrada livre, integra o programa de celebrações do Dia Nacional da Universidade Católica Portuguesa, assinalado anualmente no primeiro domingo do mês de fevereiro, ocorrendo a sessão solene nesta sexta-feira.

No domingo, o cardeal Versaldi vai presidir a uma Eucaristia, pelas 11h00, na igreja de Santa Isabel, em Lisboa.

OC

Vaticano: Papa apresenta nova visão para universidades católicas

Partilhar:
Share