«Numa primeira fase daremos preferência a estudantes açorianos, embora qualquer estudante possa candidatar-se», explicou o cónego António Henrique Pereira

Angra do Heroísmo, Açores, 03 ago 2021 (Ecclesia) – A Diocese de Angra vai disponibilizar uma casa na cidade de Coimbra, para acolhimento de estudantes “a preços razoáveis”.

O edifício, que teve obras de reabilitação, com preocupações ambientais, pode receber 14 pessoas já a partir do ano letivo 2021/2022.

“A diocese recebeu a ‘Casa de Coimbra’ há alguns meses, tendo sido vontade do bispo D. João Lavrador dar um uso digno à mesma decidindo pelo acolhimento de estudantes a preços razoáveis”, explica o ecónomo da Diocese de Angra à Agência ECCLESIA.

O cónego António Henrique Pereira adianta que a ‘Casa de Coimbra’ tem dois andares, com entradas independentes, e sete quartos em cada andar.

A Diocese de Angra assume que “muitos açorianos” escolhem estudar em Coimbra e “nem sempre é fácil arranjar alojamento permanente”, pelo que pretendem disponibilizar-lhes esta possibilidade.

Segundo ecónomo da diocese açoriana, a fase de candidaturas dos estudantes universitários vai estar “sempre disponível”, até todos os quartos estarem ocupados.

“Não existem condições de seleção propriamente ditas. Existirá um regulamento da casa, com definição de algumas regras de convivência comum e de respeito pela utilização do espaço. Numa primeira fase daremos preferência a estudantes açorianos, embora qualquer estudante poderá candidatar-se”, desenvolveu.

Os futuros residentes da ‘Casa de Coimbra’ têm ao seu dispor uma cozinha em cada piso, e vão ter também acesso “aos serviços de internet e televisão”, e limpeza das áreas comuns durante a semana.

O cónego António Henrique Pereira destaca que foram realizadas obras de reabilitação do edifício, “nomeadamente pinturas interiores e exteriores, verificação do teto, substituição de janelas, rede elétrica, águas e esgotos, colocação de cozinha e respetivos eletrodomésticos, de bomba de calor e equipamento de ar condicionado”.

“Estes dois últimos investimentos têm por objetivo contribuir para a diminuição da pegada ambiental, permitindo que os estudantes não tenham de adquirir aquecedores, normalmente com elevado consumo energético, para um maior conforto térmico de modo a enfrentar o frio de Coimbra”, salientou.

A casa tem como intuito “ser uma residência para estudantes açorianos”, mas também possibilita oportunidades pastorais como a espiritualidade do Carmelo de Santa Teresa, onde viveu a irmã Lúcia, que fica perto da residência.

“A diocese irá informar o serviço da pastoral universitário da existência de um grupo de açorianos a viver nessa residência e iremos disponibilizar os contactos deste serviço aos estudantes”, acrescenta o cónego António Henrique Pereira.

A Diocese de Angra disponibiliza informações sobre a ‘Casa de Coimbra’ através do seu economato, pelo endereço de email diocese.contabilidade@gmail.com.

CB/OC

Partilhar:
Share