Iniciativa quer alertar para «populismos» e deixar mensagem em favor da inclusão

Lisboa, 26 abr 2019 (Ecclesia) – A cidade de Viseu acolhe entre hoje e amanhã a nona edição do Encontro Nacional do Ensino Secundário da disciplina de EMRC, com alunos de todo o país, numa iniciativa que pretende “alertar para o perigo dos populismos”.

O Secretariado Nacional da Educação Cristã (SNEC), organismo da Igreja Católica que promove o evento, assume ainda o objetivo de promover “uma edução para a diferença, inclusão e ecologia”.

‘Abeira-te’ é o mote desta edição do Encontro Nacional do Ensino Secundário para alunos de Educação Moral e Religiosa Católica.

Fernando Moita, coordenador da disciplina no SNEC, considera urgente educar para os valores da diferença e da inclusão.

“Um dos desafios da educação é o de levar o aluno de hoje a capaz de entrar em diálogo com o Outro para que o possa reconhecer, identificar e aprenda a valoriza a diferença. Só a diferença nos torna vida mais bela e mais rica. Por outro lado, temos toda a tradição do judaico-cristianismo que nos trouxe a ideia de uma fraternidade na diferença. É o apelo bíblico a que todos sejam um, a questão da dignidade que nos irmana no meu Deus”, sublinha, em declarações ao portal Educris.

Cerca de 1600 alunos, de todos os distritos de Portugal continental, vão refletir sobre a importância do “estar próximo” daquele que se apresenta como o outro.

“Quisemos ter uma ligação próxima ao ambiente geográfico das beiras. Viseu, capital da beira alta, mas sobretudo trazer para a dimensão educativa a beleza de nos abeirarmos, de nos debruçarmos, aproximarmo-nos sobre e para o outro, à boa maneira do samaritano, essa história tão próxima da Bíblia”, explica o professor Fernando Moita.

O coordenador da disciplina de EMRC adianta que o encontro vai dedicar particular atenção à questão da dignidade humana.

A EMRC tem presente, em vários objetivos e conteúdos do seu programa, a educação para a inclusão e para a fraternidade. Uma das grandes metas curriculares é «reconhecer a dignidade de toda a qualquer pessoa». A disciplina tem este grande ADN de ser promotor de fraternidade e de fazer pontes. Isso é por demais evidente na sala de aula onde muitos não comungam das mesmas perspetivas religiosas, políticas e familiares”.

A iniciativa tem o seu início marcado para esta tarde, junto ao Multiusos de Viseu; os participantes vão conhecer a cidade através de várias visitas guiadas a monumentos e museus da cidade, numa parceria com as entidades locais.

O dia conclui-se com um momento de animação, no palco do Multiusos, com a presença de Matay; o padre Guilherme Peixoto, pároco da Póvoa de Varzim, vai ser o ‘DJ’ de serviço.

No sábado, os alunos vão realizar um peddy papper pela cidade de Viseu: através do uso do QRCODE o jogo de pista vai levá-los pelos segredos desta localidade beirã “sem uso e desperdício de papel”.

O final da atividade está agendado para as 14h00 com a participação do bispo diocesano D. António Luciano Costa, e um concerto a cargo do padre e músico Victor, de Castro Daire.

OC

Partilhar:
Share