Bispo auxiliar de Lisboa disse que conquistas da democracia nunca são dado «adquirido»

Foto: C. M. Matosinhos

Matosinhos, 26 abr 2019 (Ecclesia) – D. Américo Aguiar, bispo auxiliar de Lisboa, recebeu esta quinta-feira a medalha de ouro do Município de Matosinhos (Diocese do Porto), no âmbito da celebração dos 500 anos do foral de Leça do Balio.

A autarquia sublinha, em nota oficial, o “percurso notável de um homem ao serviço da Igreja e dos outros que transporta Matosinhos no coração”.

“É por todo o caminho traçado por este homem de fé, pelo rigor e obstinação que sempre imprimiu em todos os desafios que abraçou que se propôs homenagear o ilustre D. Américo Manuel Alves Aguiar através da atribuição de Medalha Honra (Ouro)”, acrescenta o texto.

A sessão solene de atribuição de medalhas e distinções honoríficas realizou-se no Salão Nobre dos Paços do Concelho.

Na sua intervenção, D. Américo Aguiar assinalou a celebração do 25 de abril e disse que os valores da democracia nunca são um dado “garantido”.

O responsável deixou também uma palavra à atual presidente da autarquia e à presidente da Assembleia Municipal: “Nestes 45 anos de democracia nada melhor do que ter duas mulheres a liderar o município”.

O bispo auxiliar de Lisboa deixou votos de que, em 2022, as Jornadas Mundiais da Juventude “também se escrevam com o M de Matosinhos”.

“Viva democracia, viva Portugal, viva Matosinhos”, concluiu.

D. Américo Aguiar nasceu em 12 de dezembro de 1973, em Leça do Balio, Matosinhos, e foi ordenado bispo, dia 31 de março de 2019, na Igreja da Trindade (Porto).

OC

Partilhar:
Share