Iniciativa congrega jovens em momentos de oração e festa, na passagem de ano

Foto: Taize.fr

Wroclaw, Polónia, 30 dez 2019 (Ecclesia) – A comunidade ecuménica de Taizé anunciou hoje que o próximo Encontro Europeu de Jovens vai decorrer na cidade italiana de Turim, de 28 de Dezembro de 2020 a 1 de Janeiro de 2021.

A iniciativa de celebração e oração reuniu este ano 15 mil jovens em Wroclaw, Polónia, incluindo 150 portugueses, 12 dos quais escuteiros do CNE que oferecem serviços de voluntariado nos locais centrais de oração.

O encontro de Turim será o sétimo promovido pela comunidade ecuménica na Itália, depois de quatro edições em Roma e duas em Milão; em 2004, a iniciativa decorreu em Lisboa.

“Manifesto minha sincera gratidão ao irmão Alois e à Comunidade de Taizé, em nome de toda a Arquidiocese de Turim e de todas as Confissões Cristãs presentes na nossa região. É para nós um anúncio importante, que representa a confirmação de um vínculo forte, mas também, ao mesmo tempo, resultado de um longo caminho de amizade com a Comunidade de Taizé”, assinala, em comunicado, o arcebispo de Turim, D. Cesare Nosiglia.

Na cidade polaca de Wroclaw, o irmão Alois, prior de Taizé, disse em conferência de imprensa que os jovens têm sido líderes na mudança de comportamentos em defesa do planeta e no acolhimento aos refugiados.

Já na oração da noite, o responsável destacou o “compromisso de tantos na salvaguarda da criação, na protecção da biodiversidade”, lamentando o espaço ganho pelo “consumismo” nas últimas décadas.

Perante a urgência climática e ambiental, é possível um testemunho comum das diferentes confissões cristãs. Sim, há aqui um belo apelo para nos unirmos em iniciativas ecuménicas”.

O encontro anual é parte da “Peregrinação de Confiança através da Terra” promovida pela comunidade ecuménica há mais de 40 anos, com momentos de oração nas paróquias da cidade de acolhimento e reflexão em temas como o diálogo entre povos, a paz, a fé e o compromisso social.

Um dos momentos marcantes é a passagem de ano, num programa que inclui uma vigília de oração pela paz no mundo, seguida por uma ‘festa dos povos’, na paróquia de acolhimento dos vários participantes.

A comunidade de Taizé (França) congrega uma centena de monges, de várias Igrejas cristãs e de mais de 30 países, incluindo Portugal, unidos como “sinal de reconciliação entre os cristãos e os povos separados”.

OC

Ecumenismo: Prior da Comunidade de Taizé lembra estrangeiros, marginalizados e vítimas da pobreza

 

Partilhar:
Share