Francisco anunciou que vai declarar Santo Irineu como doutor da Igreja, com o título de «Doctor unitatis»

Foto Vatican Media

Cidade do Vaticano, 08 out 2021 (Ecclesia) – O Papa Francisco disse no Vaticano que é necessário promover uma “unidade enriquecida pelas diferenças” na audiência ao Grupo de Trabalho Misto Ortodoxo-Católico ‘Santo Irineu’, onde anunciou que vai declarar Santo Irineu como doutor da Igreja.

“É bom cultivar uma unidade enriquecida pelas diferenças, que não ceda à tentação de homologar a uniformidade. Isto é sempre ruim, não é do bom espírito”, referiu, esta quinta-feira, numa intervenção citada pelo portal ‘Vatican News’.

Francisco acrescentou que se trata de “um confronto” para compreender como os “aspetos contrastantes” presentes em cada tradição, “em vez de alimentar contraposições, podem se tornar oportunidades legítimas para expressar a fé apostólica comum”.

O Papa agradeceu ao cardeal Kurt Koch, presidente do Conselho Pontifício para a Promoção da Unidade dos Cristãos, as palavras introdutórias e partilhou que ficou impressionado com o que disse sobre a tarefa específica do grupo: “Buscar juntos as maneiras pelas quais as diferentes tradições possam enriquecer umas às outras sem perder sua identidade.”

Foto Vatican Media

Fundado em 2004, o Grupo de Trabalho Misto Ortodoxo-Católico ‘Santo Irineu’ reúne especialistas de várias Igrejas e de diferentes países e reuniu para a sua sessão anual de trabalho no Instituto de Estudos Ecuménicos do Angelicum, em Roma.

Francisco recordou que o padroeiro do grupo, Santo Irineu de Lyon, veio do Oriente e exerceu o seu ministério episcopal no Ocidente, sendo uma “grande ponte espiritual e teológica” entre estes dois mundos.

Neste contexto, revelou que em breve vai declarar, “com alegria”, Santo Irineu como doutor da Igreja “com o título de ‘Doctor unitatis’ (Doutor da Unidade), salientando que o seu nome “traz a palavra paz”.

O grupo de trabalho publicou o estudo ‘Servir a comunhão. Repensar a relação entre primazia e sinodalidade’ e o Papa observou que “através da paciência construtiva do diálogo, especialmente com as Igrejas ortodoxas”, compreendem melhor que a primazia e a sinodalidade na Igreja “não são dois princípios concorrentes”.

“Mas duas realidades que se constituem e se sustentam mutuamente a serviço da comunhão. Assim como a primazia pressupõe o exercício da sinodalidade, a sinodalidade inclui o exercício da primazia”, acrescentou, divulga o portal ‘Vatican News’.

CB/OC

Santo Irineu de Lyon

Santo Irineu de Lyon é natural da Ásia, provavelmente nasceu em Esmirna e chegou à Gália em 177, discípulo de Policarpo, indiretamente do apóstolo João, foi o primeiro teólogo cristão a tentar elaborar uma síntese global do cristianismo primitivo.

O ‘Vatican News’ informa que falava grego, mas para evangelizar os celtas e os germânicos aprendeu as suas línguas, permanecem duas obras dos seus escritos, os cinco livros ‘Contra as heresias’ e a ‘Exposição da Pregação Apostólica’, definido como o mais antigo catecismo de doutrina cristã.

Em 2007, numa catequese, o agora Papa emérito Bento XVI disse que “do bom Pastor ele tem o senso da medida, da riqueza da doutrina, o ardor missionário” e foi “um campeão na luta contra as heresias”.

 

Partilhar:
Share