Crianças, famílias e inserção profissional são eixos centrais no trabalho

Lisboa, 02 out 2021 (Ecclesia) – A Associação de Santa Teresa – Dignidade e Desenvolvimento, que atua na intervenção comunitária, aproveitou o tempo de confinamento em que os responsáveis estiveram em teletrabalho, para “redefinir” a sua ação a partir da encíclica «Laudato Si».

“Com o teletrabalho, tivemos a necessidade de nos reinventarmos e fomo-nos formando. O desafio foi estudar a «Laudato Si» e toda a equipa técnica, muitas das pessoas não são ligadas à Igreja católica, foram estudar a encíclica. Depois seguimos para estudar a Economia de Francisco e no final fomos estudar o Pacto Educativo global. No fim deste percurso, depois da informação a que tivemos acesso, sentimos, não que tínhamos de mudar, mas redirecionar, consolidar e aprofundar algumas práticas”, explica a coordenadora técnica da associação, Lisandra Rodrigues.

A Associação de Santa Teresa – Dignidade e Desenvolvimento, que nasceu recentemente da iniciativa das Irmãs da Companhia de Santa Teresa de Jesus, integra a Associação Internacional Teresiana, que se tem dedicado à educação, às migrações e à condição da mulher.

Depois do percurso feito, conta Lisandra Rodrigues, a Associação tomou conhecimento da Rede Cuidar da Casa Comum e acabou por aderir a esta plataforma que reúne organizações e cidadãos individuais empenhados numa ecologia integral.

“Escrevemos uma carta de defesa de ecologia integral e definimos de que forma é que a ecologia integral e as dimensões económica, social e ambiental, estariam presentes nos projetos”, apresentou a responsável no encontro «Também somos Terra», organizado pela Rede CCC.

Os projetos de intervenção comunitária nascem “a partir do que a comunidade necessita”, indica: “Identificamos necessidades, refletimos sobre elas e definimos o que vamos fazer, de preferência com a comunidade – nem sempre é possível, mas é esse o nosso esforço”, dá conta.

A associação aposta nas crianças e as famílias e também na orientação e inserção profissional.

Com projetos a decorrer na cidade de Lisboa, apresenta Lisandra Rodrigues, apostam na educação “como meio de desenvolvimento”, no emprego, na intervenção comunitária, “não como serviços para encontrar respostas mas como meios para a comunidade se desenvolver e permita uma integração”.

O «Espaço aberto», aposta nas vertentes sociais e educativas e tem como grande objetivo ajudar as crianças e famílias, por exemplo, porque as crianças, a partir das irmãs, foram ouvindo falar da Casa Comum e da «Laudato Si» e surgiu a necessidade de organizar esta atividade, que decorre de segunda a sexta, e outras iniciativas relacionadas com desenvolvimento comunitário”.

Imagem: Associação Santa Teresa

A responsável explica que as crianças vão passar a ter assembleias comunitárias para falar sobre como sonham o seu bairro e comunidade.

Outro projeto – «Trabalharte» – procura uma ponte entre pessoas em situação de vulnerabilidade e o mundo do emprego, procurando respostas que se incluam na dimensão da “ecologia integral”.

A associação apresenta ainda duas oficinas, “que são marca”, concretiza.

“Estas oficinas nasceram para responder a pessoas que estavam excluídas e que não conseguiam entrar no mercado de trabalho, mas que precisavam sentir-se parte da Casa Comum. Na procura de um caminho, surgiram as bolachas e as costuras, como pretextos”, explica.

Lisandra Rodrigues sublinha que os projetos reúnem as dimensões da “inclusão, economia e sustentabilidade ambiental”, mostrando que é possível olhar para estas vertentes de forma diversa.

“Queremos olhar para a economia de forma diferente e procuramos trabalhá-la de forma solidária, recuperando as cooperativas e distribuindo os rendimentos – quem lá está recebe parte do valor da venda dos produtos, mas garantindo também a sustentabilidade ambiental porque tudo é feito com material reciclado”, explica.

O programa de rádio da ECCLESIA emitido este domingo, na Antena 1, às 6h, vai dar destaque ao trabalho que a Associação de Santa Teresa – Dignidade e Desenvolvimento desenvolve, apresentar o Movimento «Laudato Si», assinalando o término da iniciativa «Tempo da Criação».

LS

Partilhar:
Share