Cidade do Vaticano, 16 set 2021 (Ecclesia) – O responsável pela Missão Permanente da Santa Sé em Genebra, junto das organizações da ONU, defendeu o acesso universal à água, sublinhando que a questão se agravou com a pandemia.

“A água não é uma mercadoria; é um símbolo universal e uma fonte de vida e saúde.” Portanto, é necessário garantir água potável e saneamento para todos”, disse mons. John Putzer, falando no Diálogo Interativo sobre Água e Saneamento.

A iniciativa decorreu esta quarta-feira, no âmbito da 48ª sessão do Conselho de Direitos Humanos.

“O acesso à água potável é um direito humano fundamental e universal, já que é essencial para a sobrevivência humana e, como tal, é uma condição para o exercício de outros direitos humanos”, assinalou o representante da Santa Sé.

A intervenção falou numa “grande dívida social” dos países mais desenvolvidos com os pobres que não têm acesso à água potável.

Uma situação agravada pelos efeitos nocivos das mudanças climáticas e pela atual crise sanitária da Covid-19, “evidenciando os danos causados pela ausência ou pela ineficiência dos serviços hídricos entre os mais necessitados”.

OC

Partilhar:
Share