Padre Gabriele Gionti, físico teórico, fala em «evento excecional»

Cidade do Vaticano, 27 jul 2018 (Ecclesia) – O Observatório Astronómico do Vaticano está preparado para acompanhar esta noite o eclipse lunar mais longo do século XXI, um “evento excecional” que acontece na semana da descoberta de um lago de água líquida e salgada em Marte.

Para o padre jesuíta Gabriel Gionti, físico teórico e cosmólogo do Observatório Vaticano, o eclipse, a chamada ‘lua vermelha’, é “um evento excecional” que permitirá “refletir sobre a condição do ser humano num universo praticamente infinito”.

Do ponto de vista cósmico, refere ao portal ‘Vatican News’, a terra e os seus habitantes são “pequenos e insignificantes”, “como um grão de areia numa praia”.

“Mas somos um grão de areia que traz dentro de si um princípio de vida que o liga ao Senhor, um princípio de infinito que surpreende o próprio homem”.

Atualmente, a instituição realiza a maior parte das suas pesquisas cosmológicas no moderno Vatican Observatory Research Group (Vorg) em Tucson, nos Estados Unidos da América.

“O que fazemos no Observatório não é teologia ou filosofia, mas ciência pura”, assinala o Gabriel Gionti, para quem a questão de uma eventual descoberta de vida extraterrestre não implica problemas teológicos.

“Deus é o criador do universo e de todas as formas de vida que estão nele”, conclui.

As origens do Observatório remontam a 1578, quando Gregório XIII erigiu no Vaticano a ‘Torre dos Ventos’ e convidou os jesuítas astrónomos e matemáticos do Colégio Romano a preparar a reforma do calendário, que foi promulgada em 1582.

Desde essa altura, o Vaticano apoiou a pesquisa astronómica, tendo sido fundados, com o apoio do papado, três observatórios: Colégio Romano (1774-1878), Capitólio (1827-1870) e ‘Specola Vaticana’ (1789-1821); foi na continuidade desta tradição que Leão XIII refundou, em 1891, o Observatório do Vaticano, localizado num monte situado perto da Basílica de São Pedro; nos anos 30 do século XX, o Papa Pio XI determinou que o observatório fosse transferido para a residência de verão dos pontífices, em Castel Gandolfo, cerca de 25 quilómetros a sudeste de Roma, com melhores condições de luminosidade.

A ‘Specola Vaticana’ desenvolve as suas pesquisas em colaboração com institutos da Argentina, Brasil, Canadá, Chile, Finlândia, Itália, Lituânia, África do Sul e Estados Unidos da América, entre outros; de dois em dois anos, a sede de Castel Gandolfo organiza uma escola de verão, que, durante um mês, recebe estudantes de várias partes do mundo.

O financiamento deste Organismo é assegurado pela Santa Sé, mas os programas especiais, como os que estão a ser realizados nos Estados Unidos da América, contam com as contribuições de amigos e benfeitores, através da Fundação do Observatório Vaticano.

OC

EN: In conjunction with today's total lunar eclipse, Vatican News presents the Vatican Observatory, one of the oldest astronomical observatories in the world, where for centuries people of faith have carried out scientific research. Among them is Fr. Gabriele Gionti, SJ who tells us: "Through the beauty of the universe, we experience indirectly the presence of God." PT: Por ocasião da eclipse total da Lua na noite de hoje, Vatican News apresenta a vocês a Specola Vaticana, um dos Observatórios astronômicos mais antigos do mundo, onde há séculos homens de fé desenvolvem atividades científicas. Entre eles, padre Gabriele Gionti S.I., cosmólogo, que nos diz: "Por meio da beleza que encontramos no universos, vemos indiretamente a presença de Deus". IT: In occasione dell'odierna eclissi totale di Luna, Vatican News vi presenta la Specola Vaticana, uno degli Osservatori astronomici più antichi del mondo, dove da secoli uomini di fede svolgono attività scientifica. Tra di loro, P.Gabriele Gionti S.I., cosmologo, che ci dice: “Attraverso la bellezza che riscontriamo nell’universo, vediamo indirettamente la presenza di Dio”. ES: Con ocasión del eclipse total de luna de hoy, Vatican News les presenta la Specola Vaticana, uno de los observatorios astronómicos más antiguos del mundo, donde, desde hace siglos, hombres de fe desarrollan actividades científicas. Entre ellos, el P. Gabrielle Gionti, S.I., cosmólogo, que nos dice: “A través de la belleza que encontramos en el universo vemos indirectamente la presencia de Dios”. #eclipse, #Vatican, #specolavaticana, #faithandscience

A post shared by Vatican News (@vaticannews) on

Partilhar:
Share