D. Jorge Ortiga escreveu nota pastoral para celebração de 24 de janeiro

Braga, 19 jan 2021 (Ecclesia) – O arcebispo de Braga publicou uma mensagem para a celebração do segundo ‘Domingo da Palavra’, a 24 de janeiro, alertando para um “certo analfabetismo bíblico” nas comunidades católicas.

“Vivemos, ainda, um certo analfabetismo bíblico e teremos de reconhecer que a credibilidade da
mensagem que anunciamos exige mais trabalho para um conhecimento profundo. É tarefa para os
sacerdotes e para todos os cristãos. Este Domingo da Palavra deve conduzir-nos a encarar diversas iniciativas tendentes a provocar uma maior familiaridade com a Palavra”, escreve D. Jorge Ortiga, num texto divulgado online pela Arquidiocese minhota.

O responsável católico propõe uma nova “centralidade” para a Bíblia, “compreendendo o que verdadeiramente significa e como deve ser acolhida”.

“Talvez o grande erro da Igreja tenho consistido no facto de permitir que o Evangelho se tenha tornado retórica e ideias abstratas”, alerta o arcebispo de Braga.

Se, na tarefa da renovação, temos dado primazia à dimensão sacramental, é chegada a hora de apostar numa pastoral bíblica. Temos um Departamento para a Dinamização Bíblica da pastoral. A sua finalidade é ir propondo iniciativas para que a Bíblia vá permeando todo o tecido pastoral fazendo com que tudo parta da Palavra e a ela nos conduza”.

D. Jorge Ortiga propõe uma “leitura orante” da Bíblia, com atenção à dimensão comunitária, dando como exemplo os ‘Grupos Semeadores de Esperança’, iniciativa que tem juntado várias pessoas nas comunidades católicas locais.

“Rezo permanentemente para que estes grupos ganhem consistência e se multipliquem. Penso não ser utopia sonhar com a sua existência em famílias concretas que encontram tempo para se reunirem”, aponta.

O arcebispo de Braga evoca a sua própria experiência pastoral com os “Grupos Palavra de Vida”, dedicados a meditar e viver os textos sagrados.

“O grande intuito era sempre a vida e cada semana era uma proposta muito concreta para o dia-a-dia onde o pôr em prática a Palavra era ocupação permanente. A vida gerada em cada um e experimentada em grupo, através da partilha das experiências que a Palavra tinha gerado, foi o suporte e o alimento de uma comunidade viva e ativa”, realça.

O Domingo da Palavra foi instituído pelo Papa Francisco a 30 de setembro de 2019, memória litúrgica de S. Jerónimo, com a assinatura da Carta Apostólica “Aperuit illis”.

OC

Liturgia: Vaticano divulga indicações para Domingo da Palavra de Deus

 

 

Partilhar:
Share