Irmãs desenvolvem trabalho junto dos mais necessitados

Lisboa, 04 Nov 2021 (Ecclesia) – A comunidade cristã do Nepal está chocada com a prisão, há cerca de um mês e meio, de duas religiosas coreanas, ambas idosas, da Congregação das Irmãs de São Paulo de Chartres.

As irmãs Gemma Lucia Kim e Martha Park estavam a trabalhar em Pokhara, a cerca de 200 quilómetros da capital, Kathmandu, “quando foram detidas pelo polícia na noite de 14 de Setembro”, revela um comunicado da Fundação Ajuda à Igreja que Sofre (FAIS) à Agência ECCLESIA.

O vigário apostólico do Nepal, D. Paul Simick, manifestou a sua incompreensão perante esta situação, tanto mais que as duas irmãs estava a desenvolver “um trabalho absolutamente meritório, nomeadamente distribuindo alimentos junto das populações mais pobres e vulneráveis das favelas da região”.

Segundo as autoridades, as duas religiosas coreanas estariam “a procurar seduzir estas populações levando-as a converterem-se ao catolicismo”, lê-se na nota.

“Acreditamos que as alegações de conversões são totalmente infundadas e injustas. Este ato revela não só o fanatismo por parte daqueles que acusaram as irmãs mas também a ignorância das necessidades dos pobres”, explica o bispo em declarações à FAIS

No mais recente Relatório sobre a Liberdade Religiosa no Mundo, editado pela Fundação AIS e publicado em Abril deste ano, é referida uma crescente hostilidade para com as minorias religiosas no Nepal, nomeadamente depois da entrada em vigor da nova Constituição do país, em 2015, e do novo Código Penal, três anos mais tarde.

Nos últimos tempos têm sido negados vistos de permanência a alguns sacerdotes e religiosas, forçando-os a abandonar o país.

LFS

Partilhar:
Share