Relatório da Fundação Ajuda à Igreja que Sofre mostra mapa mundial sobre liberdade de culto

Lisboa, 19 abr 2021 (Ecclesia) – O cardeal Mauro Piacenza, presidente internacional da Fundação Ajuda à Igreja que Sofre (AIS), afirmou a importância da liberdade religiosa, considerando-a uma dimensão central da dignidade humana.

“A liberdade religiosa não pode ser espezinhada por nenhum motivo, nenhum Governo, nenhuma política, nem nenhum plano específico”, realça o responsável, em comunicado enviado à Agência ECCLESIA.

A AIS apresenta esta terça-feira o ‘Relatório sobre a Liberdade Religiosa no Mundo 2021’.

O cardeal Piacenza sustenta que a liberdade religiosa contém em si “o núcleo de todas as liberdades, uma vez que diz respeito à consciência humana e está assim ligada à dignidade de cada ser humano individual”.

Segundo o responsável, o relatório da AIS resulta de um estudo “muito extenso”, que exigiu “trabalho intelectual e de investigação”.

A fundação pontifícia publica o seu ‘Relatório sobre a Liberdade Religiosa no Mundo’ de dois em dois anos, analisando o nível de respeito deste direito em todos os países do mundo, em relação a todas as religiões.

Em Portugal, a apresentação vai estar a cargo de Guilherme d’Oliveira Martins, administrador executivo da Fundação Calouste Gulbenkian, a partir das 11h00, com transmissão online.

OC

Partilhar:
Share